Christian Zini, presidente regional do PSL no TO - Foto: T1 Notícias
Christian Zini, presidente regional do PSL no TO – Foto: T1 Notícias

Uma das prioridades da gestão de Carlos Amastha (PSB), a regularização fundiária somente em dois setores da capital beneficiou mais de 4 mil famílias. A informação é do secretário de Infraestrutura e Serviços Públicos da prefeitura, Christian Zini, que integra o conselho político de Amastha, candidato à reeleição pela coligação “Palmas Bem Cuidada”.

“No Santo Amaro, que já foi regularizado por esta gestão, foram beneficiadas 360 famílias. E a homologação do acordo do Taquari pelo Tribunal de Justiça vai beneficiar 3.500 famílias. São quase 4 mil famílias que tem, graças a gestão, devolvida a dignidade, tranquilidade e o direito de dizer: “isso aqui é meu, de fato e agora de direito”, afirmou Zini.

Com a regularização fundiária, o proprietário do imóvel pode registrá-lo, uma forma de garantir a segurança jurídica sobre a propriedade. “E o mais importante e que é o nosso dever enquanto poder público: a regularização quebra também todos os entraves que impedem fazer mais melhoria e investimento no setor, beneficiando os moradores de todos os serviços que têm direito.”

VEJA TAMBÉM
Com editais publicados, partidos da "Frente por Palmas" acertam logística da convenção de Cláudia Lelis, no Taquari

Para Zini, a homologação do Taquari é uma das principais conquistas da administração Amastha. “A notícia da homologação do acordo para regularização do Taquari é, para a atual gestão, uma das principais vitórias, que atesta a responsabilidade que temos com o palmense. É um sonho que em alguns momentos se transformou em pesadelo que durava 16 anos que chega ao fim. Agora é realidade”, comentou Zini, que é presidente estadual do PSL.

Zini informou ainda que, além da regularização do Santo Amaro e a homologação do acordo do Taquari, a prefeitura trabalha para regularizar outros seis setores de Palmas. O setor Canaã, por exemplo, está em fase de levantamento de projetos. Os demais são: União Sul (400 famílias), Irmã Dulce (800 famílias), Lago Norte (500 famílias), Setor Universitário (200 famílias), Santa Fé (segunda etapa; 200 famílias), Vista Alegre Belo Horizonte (250 famílias). “São, no total, mais 1950 famílias que, como as demais, terão seus direitos restabelecidos. Com isso, além da segurança jurídica, poderão receber todo e qualquer benefício e investimento que é nossa obrigação como poder público”, finalizou. Com informações Ascom

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal.