“Muitos pastores vão para o inferno”, alerta líder nigeriano
“Muitos pastores vão para o inferno”, alerta líder nigeriano

A Nigéria vive por um lado um crescimento da influência dos evangélicos e do outro as constantes ameaças de grupos muçulmanos como o Boko Haram, que ameaça matar todos os cristãos.

 Alguns de pastores nigerianos parecer ter um gosto especial pela polêmica.  Alguns dias atrás, T.B. Joshua, da Igreja Sinagoga de Todas as Nações, enviou milhares de garrafas de água para curar pessoas infectadas pelo vírus Ebola.

Esta semana, o pastor Chris Oyakhilome, fundador e líder do ministério Embaixada de Cristo, deixou os evangélicos nigerianos chocados ao trazer uma “revelação” durante o culto.

Ao pregar uma mensagem intitulada “As lições de Ló”, pastor Chris afirmou aos fiéis:  “Muitos pastores vão para o inferno por não obedecerem a Deus. Alguns não são chamados por Deus, outros tem ministério por razões carnais, há quem esteja no ministério para servir somente a si mesmos”.

O pastor disse que seu país tem visto muitas igrejas dividirem e vários pastores deixam as igrejas onde estavam trabalhando para começar outro ministério por causa de fofocas, brigas, enganos ou pura inveja. Ele disparou “Você precisa aprender a obedecer a Deus em tudo. Eu não quero ver nenhum de vocês em tal situação. Decida obedecer a Deus em tudo “.

Oyakhilome acumula polêmicas na Nigéria, pois é milionário e ensina que todo crente verdadeira tem de ser rico, numa versão extrema da teologia da prosperidade. Afirma que todos os pecados cometidos depois da conversão afetam apenas o corpo e não a alma. Desencoraja que os membros de sua igreja busquem os médicos ressaltando que todos serão curados pela fé, incluindo portadores de HIV, o que já lhe rendeu problemas com o governo.

Suas declarações foram criticadas por líderes nigerianos. Eles lembraram que outras vezes o pastor Chris trouxe “revelações” em seus programas na TV que acabaram não se cumprindo.Com informações de Daily Post 

DEIXE UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal.