atropelamentomeninas
Jefferson de Oliveira, pai das meninas é consolado no velório Foto: Urbano Erbiste / Extra

Os corpos das duas crianças que morreram tarde deste sábado,03, após serem atropeladas por um veículo em Saracuruna, em Duque de Caxias, na Baixada Fluminense, foram sepultados no final da tarde deste domingo, no Memorial do Rio, também em Caxias. A mãe e a irmã mais velha das meninas também ficaram feridas no acidente e foram levadas para o Hospital estadual Adão Pereira Nunes, na mesma cidade.

O motorista do veículo, Ronaldo Silva Santos, de 36 anos, foi morto linchado por populares. Ele chegou a ser levado para a mesma unidade hospitalar com pelo menos três tiros, além das marcas de pancadas. O carro foi incendiado antes da chegada da Polícia Militar.

mortas-transito
Enterro foi na tarde deste domingo (04). Foto: Reprodução

A mãe das crianças Juliene Martins Ferreira, de 26 anos, estava muito abalada e não pode acompanhar o sepultamento das filhas. Ela passou mal e teve de ser retirada do local por parentes e amigos. O pai Jefferson dos Santos Oliveira, também muito abalado, chorava o tempo todo e era consolado por familiares. Um tio-avô das crianças contou que a mãe voltava com as filhas de um ensaio na igreja da Assembleia de Deus, do bairro, e estava a cerca de cem metros de casa quando aconteceu o atropelamento.

— Foi uma tragédia, que caiu como uma bomba sobre a família — lamentou Antônio Maurício dos Santos, de 37 anos.

O caso ocorreu quando um homem em um carro, modelo Gol vermelho, atropelou três crianças e a mãe na Avenida Barão do Rio Branco, na Vila Uruçai, em Saracuruna. Alguns familiares disseram que o atropelador estaria bêbado.

Ana Alice, de apenas quatro meses, e Ana Beatriz, de 2 anos, que eram carregadas pela mãe no mesmo carrinho de bebê morreram. A menor estava dormindo na hora do acidente. Juliene e outra filha , Ana Júlia, de sete anos, foram socorridas e levadas para o hospital, onde a menina ainda permanece internada.

Parentes das vítimas estiveram na manhã deste domingo no Hospital de Saracuruna e contaram apenas que menina iria passar por cirurgia. Eles preferiram não falar com a imprensa.

A Divisão de Homicídios da Baixada Fluminense (DHBF) investiga o caso sobre a morte de Ronaldo. Já a 60ª DP (Campos Elíseos) abriu procedimento para apurar as circunstâncias do acidente envolvendo a mãe e as três crianças.

A igreja frequentada pela família cedeu um ônibus para levar parentes e vizinhos ao sepultamento das duas meninas.

Leia na íntegra a nota da Polícia Civil:

“Segundo informações da Delegacia de Homicídios da Baixada Fluminense – DHBF, neste sábado, 03 de setembro, Ronaldo Silva Santos, de 36 anos, foi agredido por populares e morto a tiros após ter seu carro incendiado na Avenida Barão do Rio Branco, Vila Uruçai, Saracuruna, em Duque de Caxias. Ronaldo teria sido morto após atropelar quatro pessoas (uma mãe e três de seus filhos). Perícia minuciosa foi realizada no local e diligências estão em andamento para identificar os autores do crime”.

Com informações Extra

DEIXE UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal.