feliciano
“É hora de mudarmos a nação. O voto pode fazer isso. Está em suas mãos mudar o nosso país”, encerrou.

O alerta não é novo, mas em época de eleição está sendo reforçado por várias lideranças cristãs. Mesmo após o afastamento da ex-presidente Dilma Rousseff, os conflitos ideológicos da chamada “agenda” de grupos esquerdistas continua sendo proposta pelos partidos que seguem esses ideais.

Um dos críticos mais vocais desse movimento tem sido o deputado federal pastor Marco Feliciano. Por diversas vezes ele já discursou sobre o assunto no plenário da Câmara Federal e enfrentou perseguição na época em que, junto com outros parlamentares, tentavam impedir os avanços de legislações que atacam a família tradicional e os ideais cristãos.

“Precisamos ter dentro do legislativo vereadores que pensem como nós, que não se envergonhem de nossa ideologia. Quando você dá seu voto a um vereador, dá carta branca para ele falar em seu nome, legislar em seu nome e votar em seu nome”, asseverou Feliciano no vídeo publicado por ele nas redes sociais na tarde desta segunda-feira (12).

Em uma reflexão breve, com menos de um minuto e meio ele lembrou das dificuldades que muitos vereadores cristãos com mandato passaram ou estão passando em suas cidades quando precisam legislar sobre questões que envolvem a chamada “ideologia de gênero”.

Esse pensamento faz parte da ideologia de viés esquerdistas, quem vem sendo ensinado em vários lugares do país desde o início do governo do Partido dos Trabalhadores. Iniciado pelo ex-presidente Lula, a ascensão do movimento ganhou força com Dilma que, entre outras coisas, gerou o rompimento dos evangélicos que faziam parte de sua base aliada quando da eleição de 2010.

Lembrando que essa não é uma luta partidária, mas sim ideológica, esclareceu que o candidato a cargo eletivo precisa se sujeitar às determinações do seu partido. Para o pastor, não é possível que um cristão se alinhe com esses pensamentos que são reconhecidamente contra os valores bíblicos.

Sem citar nomes nem partidos, Feliciano insistiu para que os cristãos (evangélicos e católicos) não deem seu voto para os “esquerdopatas”. Lembrou ainda que muitos candidatos ligados aos partidos de cunho socialista e comunista, não só o PT, estão escondendo a cor vermelha e seus símbolos tradicionais nesta eleição.

“É hora de mudarmos a nação. O voto pode fazer isso. Está em suas mãos mudar o nosso país”, encerrou.

Assista:

Com informações Gospel Prime

COMPARTILHAR

Atenção: Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal.
  • Lucia Maria

    Nazi-fascista, xenofóbico, preconceituoso, hipócrita, primeiro tira trava e cisco do olho do seu olho, a necrose do seu cérebro.Convoca seus asseclas e alienados evangélicos para fazer parte do seu ardil demoníaco. Nós católicos somos conscientes e livres para exercer nosso direito ao voto no candidato que julgarmos capaz. Certamente jamais em espécimes vis da sua laia.

    • Pedrão de Cunha

      Menina burra NAZI-FACISMO=COMUNISMO, fizeram tudo que o outro faz…. vc fala fala e não sai um argumento, a igreja católica foi infiltrada por comunistas, até o PAPA é comunista e hj engana fiéis para colher assinaturas para a reforma politica do PT!