Da Redação JM Notícia

"O diabo não passa por Palmas, porque ele está tão bem representado, porque se ele pisa aqui ele tem medo de que tire o trono dele"
“O diabo não passa por Palmas, porque ele está tão bem representado, porque se ele pisa aqui ele tem medo de que tire o trono dele”

Além de pronunciar duras críticas ao pastor Amarildo Martins, o prefeito e candidato a prefeitura de Palmas, Carlos Amastha (PSB) ainda ironiza o texto bíblico que diz que toda autoridade é constituída por Deus e dispara que o diabo está bem representado em Palmas, e que ele não pisa na cidade com medo de que alguém lhe tire o trono.

A ironia e as críticas foram proferidas na última terça-feira, 06, quando o candidato se reuniu com alguns lideres evangélicos para apresentar o balanço de sua gestão referente ao Palmas Capital da Fé e a regularização de áreas, que foram doadas pela gestão e que já foram questionadas pelo Ministério Público Estadual.

No áudio, como pode ser conferido, Carlos Amastha, por não conhecer os princípios bíblicos, ironiza o texto diz que toda autoridade é constituída por Deus. “Cada vez que ouço isso eu pergunto: Deus também colocou esses bandidos aí?” (No áudio não deixa claro se a referência de bandidos era aos pastores líderes das igrejas onde o prefeito diz ter recebido orações ou a alguns vereadores de Palmas, os quais ele cita e que no final de sua fala faz uma referência a eles como bandidos).

VEREADOR PR. JOÃO CAMPOS LAMENTA

João-Campos-de-Abreu
Vereador João Campos lamenta fala do prefeito Amastha

Nesta terça-feira, 13, o vereador vereador João Campos (PSC), usou a tribuna e  lamentou a fala do prefeito: “Nós lamentamos seriamente esse tipo de atitude. Reiterou várias vezes, isso está nos áudios e foi divulgado, ele dizendo que os verdadeiros capetas e satanases estão aqui nesta Casa e que não há necessidade de satanás vir aqui em Palmas, porque já está muito bem representado pelos vereadores”.

Campelo 

Para o vereador Lúcio Campelo (PR) o posicionamento do prefeito Carlos Amastha foi infeliz e insano. “Isso é insanidade! Não respeitar os parlamentares que ajudaram ele a construir ao longo desses três anos e sete meses, oito meses de gestão, atribuir a essas pessoas que estiveram com ele, do lado dele, essa alcunha de capetas e satanases. Se ele faz isso com os vereadores, imagine com a sociedade. Se ele dá esse tratamento a quem esteve com ele, fazendo chacota com a palavra de Deus!”, criticou.

VEJA TAMBÉM
Amastha diz que vai ampliar número de câmeras de monitoramento na Capital

OUÇA O ÁUDIO:

O candidato mostra total desconhecimento da passagem bíblica e do que realmente ela representa e acrescenta: “Porque tem que ter o capeta para se contrapor ao bem”.

Ao fundo é possível ouvir risadas, como de quem está de acordo com a ironia, dos pastores e líderes religiosos presentes na reunião. E para completar, Amastha ainda argumenta: “Não é? Não é gente? Porque nós todos somos religiosos (fazendo uma referência a si mesmo, que em outra ocasião se declarou ateu) por que vocês têm que fazer esse trabalho, por que todos são bonzinhos?” , ironizou.

No discurso ainda em tom irônico, o prefeito de Palmas, ressaltou que o diabo não passa pela cidade. ” Porque ele tá tão bem representado, porque se ele passar por aqui ele tem medo de que tire o trono dele”.

Sobre os quatro vereadores (Milton Neres, Rogério Freitas, Emerson Coimbra e Pastor João Campos) que faziam parte da sua base e que ele afirma que os expulsou, Amastha diz ter sido chantageado por eles durante os três anos de sua gestão. E ainda faz um referência a eles no final do áudio como bandidos. “Agora q chegou o momento político eu não vou subir ao palanque para pedir votos para bandidos“.

VEJA TAMBÉM
Amastha anuncia Leilão de Imóveis de devedores de IPTU em Palmas e bloqueio de bens

Dentre os quatro vereadores citados, três são evangélico, sendo um pastor. Ao citar o vereador pastor João Campos (PSC), candidato a vice-prefeito na chapa do ex-prefeito Raul Filho (PR), Amastha não poupou criticas indiretamente contra o pastor Amarildo Martins, presidente estadual das Assembleias de Deus Madureira no Tocantins e Maranhão.

Para Amastha, o vereador João Campos(PSC) sempre trabalhou contra a sua gestão: “Gente, o cara sempre trabalhou contra a gente, sempre, justamente pelo sectarismo, justamente por ser sectário”.

E sobre o trabalhar contra a sua gestão, Amastha fez referência ao Emep (Encontro da Mocidade Evangélica de Palmas, que acontece há mais de 10 anos sempre no mesmo período do carnaval). “Ele foi o único que fez um evento no último dia do evento para prejudicar o grande evento (uma referência ao Capital da Fé, que também aconteceu no feriado de carnaval).

Críticas ao pastor Amarildo Martins

Pastor Amarildo Martins também é vice-presidente Nacional das Assembleias de Deus
Pastor Amarildo Martins também é vice-presidente Nacional das Assembleias de Deus

Sem citar o nome do pastor Amarildo Martins,mas chamando de líder do pastor João Campos (PSC), Amastha (PSB) disparou duras críticas, disse que ele só pensa no umbigo dele, afirmou que tentou atrapalhar o Palmas Capital da Fé e disse que ele (Pr. Amarildo), a quem se refere como líder, odeia a sua administração.

Ao finalizar, Amastha disse que o motivo de tirar o pastor João Campos da base, teria sido por causa do líder dele (Pastor Amarildo).

Revolta

O áudio do ataque do prefeito Amastha ao pastor Amarildo Martins tem rendido vários comentários em todo a cidade, principalmente no meio assembleiano. Alguns pastores comentaram ao JM Notícia, que o “pastor das ovelhas” foi atingido pelo prefeito, e que alguns evangélicos que votavam no gestor, já não votam mais.

 

Atenção: Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal.
  • Cássio moraes

    jornalzinho bosta desses fazendo campanha pro raul.