Presidente da Câmara, Rogério Freitas
Para o vereador, o Observatório Social foi irresponsável em divulgar informações que causam desequilíbrio na disputa sem a correto esclarecimento dos fatos.

O presidente da Câmara Municipal de Palmas, vereador Rogério Freitas (PMDB), considerou irresponsável a informação que a entidade Observatório Social está divulgando nas mídias sociais quanto à evolução do seu patrimônio nos últimos 4 anos. “É irresponsável divulgar dados sem fazer os esclarecimentos. É notório do cidadão palmense que perdi meus pais em 2014, e a evolução dos meus bens é fruto de herança, conforme declarei junto à Justiça Eleitoral”.

Ainda conforme Freitas, a entidade não teve o cuidado em averiguar a fonte do aumento da renda, repassando para a sociedade uma informação propositalmente submersa em  um julgamento de valores quanto a lisura dos seus rendimentos financeiros. Para Rogério divulgar esse tipo de informação aos palmenses sem deixar claros os motivos causa desequilíbrio na disputa, uma vez que sua idoneidade foi questionada.

Freitas explicou que de fato, e conforme a informação protocolada por ele na Justiça Eleitoral, seu patrimônio teve uma evolução considerável nos últimos anos. No entanto, a informação espalhada pelo Observatório Social não explica que este aumento foi fruto de herança de família, após a morte dos pais de Rogério Freitas no final de 2014 por acidente automobilístico.

VEJA TAMBÉM
Fabiano Parafusos (PRB) defende combate à velha política

No detalhamento patrimonial do presidente da Câmara e candidato à reeleição consta, entre outros bens já informados no pleito eleitoral anterior, a especificação de uma fazenda, terra nua e benfeitorias, avaliada em R$ 801 mil, e 115 reses de gado bovino, no valor de R$ 135.504,03, ambos valores recebidos de herança.

Material contestado pelo vereador Rogério Freitas, que está sendo divulgado pelo Observatório Social.

Atenção: Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal.