Rodrigo Grimaldi, pai do jovem Renan Grimaldi, de 18 anos, que estava internado no Hospital estadual Getúlio Vargas, na Penha, com morte cerebral, se despediu do filho através de uma postagem nas redes sociais feita na manhã deste sábado.

O rapaz sofreu um acidente de carro após comemorar seu aniversário no último final de semana e deixar a namorada em casa. Na terça-feira, foi atestada a morte encefálica. No entanto, os médicos não desligaram os aparelhos, atendendo ao apelo da família.

ScreenshotOs aparelhos que mantinham o organismo de Renan Grimaldi funcionando artificialmente teriam que ser desligados, como mandam os procedimentos padrões, já que a morte encefálica foi confirmada. A comoção gerada em torno do caso fez com que a direção do hospital abrisse outra exceção: os pais estavam se revezando ao lado do filho no CTI, ambiente no qual é proibida a permanência de acompanhantes.

A Secretaria Municipal de Saúde, no entanto, ainda não confirmou a morte do adolescente.

Entenda

Vanessa da Silva, mãe de Renan, se ajoelha após direção do hospital decidir manter jovem ligado a aparelhos. (Foto: Pablo Jacob/Agência O Globo)
Vanessa da Silva, mãe de Renan, se ajoelha após direção do hospital decidir manter jovem ligado a aparelhos. (Foto: Pablo Jacob/Agência O Globo)

A fé e o clamor de uma família comoveu todos os que acompanharam o grupo na porta do Hospital Getúlio Vargas, na Penha, Rio de Janeiro, na manhã desta quinta-feira (29). A oração foi feita para manter vivo o estudante Renan Grimaldi, de 18 anos, que sofreu um acidente de carro e teve a morte encefálica declarada pelos médicos.

Os procedimentos padrões indicam que os aparelhos que mantinham seu organismo funcionando artificialmente teriam que ser desligados. No entanto, após o ato de fé dos pais, parentes e amigos na entrada da emergência, a medida foi suspensa.

“Ele [Renan] não está morto. Ele está vivo. O coraçãozinho dele ainda está batendo, e os outros órgãos estão bem. Agradeço a Deus pela decisão dos médicos de não desligarem os aparelhos. Estou fazendo tudo o que posso. Vou até o fim. Meu filho vai sair de lá bem”, aos prantos disse a mãe, Vanessa Loureiro da Silva, de 32 anos, que é evangélica.

Popular entre os amigos e conhecido como um “meninão brincalhão”, Renan era estudante do 1º ano ensino médio no Colégio Franklin Carneiro, em Brás de Pina. No sábado, ele sofreu um acidente de carro em Olaria e foi levado para o Getúlio Vargas.

Via Extra

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal.