Por Rubens Gonçalves

Clanan Renault de Melo Pereira
Clanan Renault de Melo Pereira

Prodígio na geração de más notícias, o Tocantins voltou a ser destaque no jornal O Globo, do Rio de Janeiro, nesta terça-feira, 25. Em seu site na internet, o diário carioca traz duas reportagens sobre o Estado: uma a respeito “guerra” entre dois procuradores de justiça pela direção do Ministério Público Estadual (MPE), e outra sobre a Odebrect Ambiental Saneatins – “dona da água” no Tocantins – agora na mira da operação Lava-Jato.

As eleições para o cargo de Procurador Geral de Justiça acontecem nesta quarta-feira, 26. Concorrem o atual chefe do MPE, Clanan Renault de Melo Pereira, e o ex-procurador geral de justiça, José Demóstenes de Abreu.

Segundo o periódico, Clenan é acusado de por colegas de interferir em processos instaurados contra prefeitos que contrataram seus filhos, Juliana e Fábio Bezerra de Melo Pereira. Ele nega.

 Sobre a Odebrecht Ambiental Saneatins, a reportagem de O Globo diz que, apenas no ano passado, a empresa – investigada pela Lava-Jato – faturou mais de R$ 500 milhões nos contratos com consumidores e governo.

Médicos

 No início deste mês, o diário carioca já havia denunciado os altos salários pagos a médicos do Estado. As informações foram publicadas na coluna do jornalista Lauro Jardim, com o título Médicos do Tocantins ganham salários de até R$ 70 mil. “Apenas 472 profissionais representam 23% da folha da Secretaria de Saúde do Tocantins”, escreveu o colunista.

 Eleições

No mês passado um enviado especial do jornal mostrou que, no Tocantins, há 34 cidades tocantinenses onde ao menos 10% da população trabalharam nas duas últimas campanhas eleitorais. De acordo com a reportagem, trata-se da compra de votos “disfarçada”.

COMPARTILHAR

Atenção: Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal.