Mais de 540.000 pessoas já assinaram uma petição pedindo ao governo paquistanês que absolva da pena de morte, a cristã Asia Bibi e cinco pessoas condenadas pelo ‘crime de blasfêmia’ no Paquistão.

O julgamento final do apelo de Asia Bibi foi adiado no início deste mês, mas ainda não tem uma nova data definida para acontecer.

O ‘Centro Americano de Direito e Justiça’ (ACLJ) – grupo que lançou a petição online – diz: “Várias semanas atrás, enviamos uma carta de defesa de emergência ao embaixador do Paquistão nos Estados Unidos, exigindo que o país absolva Asia Bibi – a cristã, mãe de cinco filhos, que cinco atualmente está no corredor da morte, no Paquistão”.

Asia Bibi(ao centro)foi condenada à morte pelo crime de blasfêmia no Paquistão FotoACLJ
Asia Bibi(ao centro)foi condenada à morte pelo crime de blasfêmia no Paquistão FotoACLJ

“Esta semana enviamos uma segunda carta ao Embaixador Jilani, na qual expressamos nossa consternação com a decisão da Suprema Corte do Paquistão em adiar a audiência de apelação de Bibi. Novamente, pedimos com urgência, que o embaixador faça tudo o que for possível pela liberdade de Asia”, acrescentou.

Mais de meio milhão de pessoas já assinaram a petição, intitulada: “Salvem a mãe cristã Asia Bibi da execução”.

Bibi foi falsamente acusada de blasfêmia contra o profeta Maomé e se ela tiver seu apelo negado, será executada por enforcamento.

A petição diz: “Ela seria a primeira mulher executada sob acusação de crime de blasfêmia conforme a lei Shariah do Paquistão. Esta é a violação final dos direitos humanos”.

O ACLJ está mobilizando sua filial internacional – o Centro Europeu de Direito e Justiça – e seus parceiros no Paquistão para conseguir a libertação de Bibi.

Em sua última carta ao Embaixador Jilani, o ACLJ disse: “Este novo atraso no caso da Asia Bibi é inaceitável. Como afirmamos anteriormente, a prisão e a sentença de morte dela violam, sem reservas, acordos internacionais que o Paquistão já ratificou”.

Bibi já passou sete anos na prisão, esperando o resultado final de seu caso.

A maioria dos casos de blasfêmia no Paquistão são baseados em acusações falsas, seguidas por investigações e textos defeituosos, cheios de erros.

O ACLJ diz: “O único ‘crime’ de Asia Bibi foi afirmar sua fé em Jesus Cristo e seu firme apoio à sua fé cristã custou-lhe muito caro. Seu caso é polêmico, considerando que clérigos islâmicos radicais exigem que ela seja enforcada”.

“Esta controvérsia, no entanto, não isenta o Paquistão de honrar suas obrigações internacionais e domésticas legais. Asia ainda está no corredor da morte, seu destino ainda é incerto e a Suprema Corte do Paquistão ainda está adiando sua audiência final. Diante desta incerteza, estamos trabalhando continuamente para defender a liberdade desta cristã“, finalizou.  Guiame

DEIXE UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal.