Foto: Nando Chiappetta DP
Foto: Nando Chiappetta DP

Mais de 191 mil estudantes de todo o país não farão o Exame Nacional do Ensino Médio, neste fim de semana, por causa da ocupação de 304 escolas públicas onde seriam realizadas as provas. Os testes para esses alunos serão transferidos para 3 e 4 de dezembro.

O movimento dos estudantes que ocupam escolas pelo país há cerca de um mês levou ao adiamento do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) de pelo menos 191.494 candidatos que fariam a prova neste fim de semana, mas tiveram o teste adiado para os dias 3 e 4 de dezembro. O custo adicional por conta do adiamento pode chegar a R$ 12 milhões. A avaliação seria aplicada integralmente no sábado e no domingo, alcançando 8.627.248 alunos, em 16.476 escolas. Mas ficarão para depois os estudantes que tinham provas marcadas em locais ocupados.
O Ministério da Educação não precisou exatamente o prejuízo para realização das novas provas. Mas a presidente do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), Maria Inês Fini, calcula que o valor médio de R$ 90 estimado de gasto por aluno será minimizado, nessa fase, com o abatimento dos gastos com fiscais de prova, que só trabalharão em dezembro. “Mas a estimativa não está pronta”, adverte.
De acordo com balanço do Inep, 304 escolas que sediariam os exames continuavam ocupadas, em 126 municípios de 20 unidades da Federação, inclusive a capital federal. No Distrito Federal, cinco escolas estão ocupadas e 3.178 estudantes serão afetados. O cronograma de resultado das provas, no entanto, não será alterado.
DP

DEIXE UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal.