Aaron e Melissa Klein em entrevista coletiva. (Foto: Family Research Council/Carrie Russell)
Aaron e Melissa Klein em entrevista coletiva. (Foto: Family Research Council/Carrie Russell)

Os confeiteiros cristãos dos EUA, Aaron e Melissa Klein, que estavam sendo processados por se recusarem a fazer um bolo para um casamento gay, ganharam a causa na Justiça. A audiência aconteceu na última segunda-feira (14).

O republicano Dennis Richardson, um representante do estado de Central Point, no Oregon, derrotou o democrata Brad Avakian, o atual Comissário de Trabalho e Indústrias, marcando a primeira vez em 14 anos que um republicano venceu um escritório estadual em Oregon (EUA). Sua vitória é considerada uma façanha especialmente notável, já que ele é um conservador em um estado liberal.

Como noticiado pelo jornal ‘Daily Caller’, “Richardson lançou-se como uma figura não-partidário que se concentrou no papel tradicional do trabalho de monitorar as eleições e auditoria dos gastos públicos. Avakian, por outro lado, prometeu transformar o escritório em um veículo para a política progressista, dizendo que usaria o posto para combater as mudanças climáticas, promover os direitos ao aborto, investigar empresas privadas e defender certos candidatos e causas políticas (apesar do papel de monitoramento eleitoral do escritório)”. Avakian permanecerá no cargo em seu cargo atual por mais dois anos.

Em julho de 2015, Avakian ordenou que os donos de padarias Aaron e Melissa Klein pagassem 135.000 dólares em danos a um casal de lésbicas, cujo casamento eles eles recusaram a encomenda de fazer um bolo, em janeiro de 2013.

Além de penalisar os Klein com uma quantia tão robusta, em 2013 Avakian também multou o ‘Twilight’ – um bar a norte de Portland – em 400.000 dólares, porque o dono do estabelecimento tinha pedido a clientes transgêneros que não voltassem mais ao local. O proprietário tinha feito isso porque ele não queria que seu estabelecimento se tornasse conhecido como um “tranny bar” (“bar específico para o público transgênero”), de acordo com relatórios do Oregon Live.

Os confeiteiros cristãos fecharam sua loja na área de Portland, devido ao intenso assédio, mas continuaram cozinhando e vendendo bolos do lado de fora de sua casa.

Ao final de setembro deste ano (2016) Melissa Klein anunciou no Facebook que eles tinham fechado para sempre o seu estabelecimento.

O caso ganhou atenção nacional nestes últimos anos e o casal possivelmente se tornou uma das faces da luta pela liberdade religiosa nos Estados Unidos, enquanto destacou o crescente conflito entre a liberdade de expressão e as leis que favorecem os grupos LGBT.

Quando Avakian aplicou a multa contra os Klein no verão passado, os apoiantes do casal de Oregon em toda a nação se uniram para arrecadar centenas de milhares de dólares, que os Klein usaram para pagar a multa. Mas esses fundos não foram enviados ao casal e ainda estão sendo mantidos em uma conta do governo, uma vez que o processo de apelação não chegou ao fim.

Uma voz conhecida que se levantou para apoiar o casal cristão foi a do evangelista e presidente da Bolsa do Samaritano, pastor Franklin Graham.

Como observado pelo ‘Christian Post’ em abril de 2015, Graham disse: “[Os Klein] tomaram uma posição que segue a Palavra de Deus, e eles não deveriam ficar sozinhos… Eu acredito que os cristãos em toda a nossa nação se unirão a Aaron E Melissa e seus cinco filhos”.

As amargas divergências culturais permanecem, no entanto, mais evidenciadas pelo desacordo entre os principais advogados de direitos civis sobre os direitos da 1ª Emenda e leis de combate à discriminação.

O ‘Christian Post’ informou em 9 de setembro, que em um relatório do governo de 307 páginas, chamado ‘Coexistência Pacífica: Conciliação de Princípios de Não-discriminação com Liberdades Civis’, o Comissário de Direitos Civis dos EUA, Martin Castro chamou as frases de liberdade religiosa como “palavras de código” para discriminação e supremacia cristã entre outras coisas.

Os Klein estão sendo representados pelo advogado C. Boyden Gray, que é um ex-conselheiro da Casa Branca do presidente George H.W. Arbusto.

Guiame

DEIXE UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal.