Corpos foram retirados pelo Corpo de Bombeiros (Foto: CIOPAER/SSP)
Corpos foram retirados pelo Corpo de Bombeiros (Foto: CIOPAER/SSP)

A Polícia Civil está ouvindo sobreviventes do desabamento de rochas que formavam o teto da gruta Casa de Pedra, em Santa Maria do Tocantins, nordeste do Tocantins. Cinco pessoas prestaram depoimento na delegacia de Pedro Afonso e outras ainda devem ser ouvidas no inquérito policial que busca identificar as causas do acidente.

A morte de dez pessoas ocorreu no dia 1º de novembro, quando cerca de 50 fiéis estavam no local durante uma celebração religiosa. As vítimas foram duas crianças e oito adultos, sendo sete mulheres e três homens. A gruta fica em um local aberto e de fácil acesso, a cerca de 10 quilômetros da cidade. Um vídeo registrou o local momentos depois do desabamento.

Segundo a Secretaria de Segurança Pública (SSP), o delegado responsável solicitou o laudo do instituto de criminalista, que foi feito logo após o acidente e tem 30 dias para ficar pronto. A polícia também aguarda o laudo da vistoria feito pela Defesa Civil.

Os laudos cadavéricos das vítimas foram concluídos na sexta-feira (11) e encaminhados para a delegacia, para serem anexados ao inquérito que busca identificar as causas do acidente.

VEJA TAMBÉM
Ex-prefeito do Tocantins é preso em Goiás

Entenda
Dez pessoas morreram no desabamento de rochas que formavam o teto de uma gruta em Santa Maria do Tocantins, região central do estado, de acordo com o Corpo de Bombeiros. O acidente foi registrado na manhã de terça-feira (1°). De acordo com a corporação, pelo menos 50 pessoas estavam na hora do desabamento celebrando o Dia de Todos os Santos.

O acúmulo de água na rocha e a vibração de vozes podem ter provocado o desabamento. A informação é do especialista em recursos minerais da Departamento Nacional de Produção Mineral, Fábio Lúcio Martins.

Conforme a Defesa Civil, fogos de artifício usados para espantar os morcegos também podem ter abalado a estrutura. “A rocha se comporta como uma bucha e se encharca de água. Além disso, já deveria ter alguma coisa, um desplacamento. Com o peso, ela pode desabar”, explicou.

Testemunhas também contaram que parte do teto da gruta tinha desabado no dia anterior ao acidente.

G1 TO

DEIXE UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal.