ONU denuncia decisão israelense de construir 500 casas em Jerusalém leste
ONU denuncia decisão israelense de construir 500 casas em Jerusalém leste

Um alto funcionário das Nações Unidas denunciou nesta quarta-feira duas recentes decisões israelenses que intensificam a colonização na Cisjordânia e solicitou a Israel que acabe com esta prática considerada “ilegal”.

“Os recentes atos de Israel são cada vez mais inquietantes”, afirmou o emissário da ONU para o Oriente Médio, Nikolay Mladenov, diante do Conselho de Segurança.

Ele se referia a uma votação preliminar na Knesset (Parlamento) para legalizar as colônias e a reativação de um projeto de construção de 500 moradias em Jerusalém leste.

“Solicito novamente a Israel que obedeça os reiterados chamados a encerrar a construção ilegal de moradias nas colônias da Cisjordânia ocupada, incluindo Jerusalém leste”, declarou.

Israel reativou, segundo uma ONG, o projeto de construção de 500 casas em um bairro de colonização em Jerusalém leste ocupado e anexado, a primeira iniciativa deste tipo após a eleição presidencial americana.

O Parlamento israelense aprovou na quarta-feira passada, durante a leitura preliminar, um polêmico projeto de lei que legaliza milhares de casas construídas para colonos israelenses na Cisjordânia.

VEJA TAMBÉM
Netanyahu não nomeará embaixador no Brasil, diz imprensa israelense

A colonização, ou seja, a construção por parte de Israel de moradias civis nos territórios ocupados como Jerusalém leste, é considerada ilegal pela comunidade internacional.

A ONU vê os assentamentos ilegais como um obstáculo maior para alcançar a paz entre israelenses e palestinos, contra a posição do governo do primeiro-ministro, Benjamin Netanyahu, um dos mais direitistas da história de Israel.

Atenção: Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal.