taxi-eletrico
Prefeitura de Palmas elabora estudo de viabilidade para implantação de táxi elétrico

A Secretaria Municipal Extraordinária de Energias Sustentáveis preparou um estudo de viabilidade de compensação fotovoltaica para transformar a frota de táxis da Capital em carros elétricos e, assim, diminuir a emissão de gás carbônico no meio ambiente, para se adequar à legislação do Programa Palmas Solar.

Na proposta, a Secretaria aponta que, atualmente, existem 137 taxistas operando em Palmas, percorrendo 185 km por dia, ao custo de R$ 80,00. Com os carros elétricos, essa despesa cairia para R$ 27,00 por dia, percorrendo a mesma distância, além de compensar a emissão de gás carbônico. O estudo foi realizado considerando a possibilidade de aumentar as frotas, uma vez que baixando os custos, aumentaria também a demanda pelo serviço. No entanto, o secretário Extraordinário de Energias Sustentáveis, Sérgio Faria, afirma que tudo deverá ser discutido com o sindicato da categoria e todos os envolvidos no processo.

De acordo com Faria, o projeto está sendo elaborado, uma vez que o Banco de Desenvolvimento Interamericano (BID) sinalizou a possibilidade de financiamento, a longo prazo, para a aquisição dos carros e a implantação dos serviços. O secretário apontou ainda que com a substituição dos táxis por carros elétricos, a emissão de gás carbônico diminuiria e o município deixaria de ter que plantar o equivalente a cinco campos de futebol de árvores por ano, para compensar, com oxigênio, esse gás carbônico produzido pelos carros comuns.

VEJA TAMBÉM
Claudemir Portugal destaca avanço no saneamento básico e instalação de empresas em Palmas

Faria enfatiza que, em contrapartida, seria realizada a compensação fotovoltaica, com implantação de placas de energia solar suficientes para atender a esses carros elétricos, com abertura de licitação para construção de cabines de abastecimentos.

“Esse projeto é muito viável e excelente para aquilo que queremos para a Palmas do futuro. É um projeto de sustentabilidade total, em que estamos colaborando com o meio ambiente de forma específica, transformando a cidade, com uso de energia limpa”, disse Faria.

Palmas Solar

O Programa Palmas Solar conta com uma integração de várias secretarias. Para a implantação do Táxi elétrico, contará com a participação do Instituto de Planejamento Municipal de Desenvolvimento Urbano (Impup), das Secretarias de Finanças, de Infraestrutura e de Planejamento.

Faria afirma que “queremos uma compensação total de energia hidráulica. Para isso, temos vários locais onde poderemos instalar as placas de energia solar, e quando jogarmos essa compensação para a Companhia Elétrica, as contas que teríamos que pagar serão compensadas”.

No futuro, explica Faria, a Prefeitura vai instalar placas fotovoltaicas nos órgãos públicos municipais como escolas, creches, secretarias. E, atualmente, nos projetos de novas obras municipais para qualquer secretaria, é obrigatório entregar o projeto fotovoltaico em conjunto para aprovação. “Temos que adequar a Lei às necessidades e à condição financeira, com a instalação das placas com cronograma planejado, até fazermos uma inversão total do tipo de energia consumida pelo município”, finaliza Faria.

VEJA TAMBÉM
Arrecadação de multas de trânsito irão ser utilizadas para pagar lanches em Palmas

 Legislação

O Programa Palmas Solar, conforme a Lei Complementar 327, tem como objetivo mitigar a geração e emissão de gases de efeito estufa; criar alternativas para compensação de áreas degradadas; estimular a implantação, o desenvolvimento e a capacitação no Município, de fabricantes e de materiais utilizados em sistemas de aproveitamento de energia solar.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal.