319027_600x450Uma operação de combate ao tráfico de drogas, deflagrada na noite dessa segunda-feira, 5, em Palmas, por policiais civis da Delegacia Especializada em Narcóticos (Denarc), resultou na prisão de Eduardo Alencar Serrato, de 29 anos, e na apreensão de 2 kg de maconha.

Conforme o delegado Guilherme Rocha Martins, responsável pela operação, Eduardo Serrato já era investigado pela suspeita de ser um dos maiores fornecedores de drogas da região central de Palmas, sendo capturado quando realizava a entrega de maconha em um posto de combustíveis localizado na Quadra 110 Norte.

Durante a abordagem, os policiais civis encontraram, no interior do veículo conduzido pelo suspeito Daniel José Palhares Barbosa,de 23 anos, Kesley Douglys Candado, de 25 anos, e Izadora Augusta Patrício, de 18 anos, os quais foram autuados por uso de entorpecente.

Os policiais civis foram até a residência de Eduardo, que fica localizada na cobertura de um condomínio de luxo, na Quadra 208 Norte, onde apreenderam 2 kg de maconha, certa quantia em dinheiro, além de uma balança de precisão. Segundo apontaram as investigações da Denarc, o indivíduo escondia as drogas e a balança de precisão no terraço do prédio, devido ao fácil acesso que tinha ao local, por morar na cobertura.

VEJA TAMBÉM
Ex-prefeito do Tocantins é preso em Goiás

Eduardo Serrato foi conduzido à sede da Denarc, onde foi autuado em flagrante por tráfico de drogas e, logo após os procedimentos cabíveis, foi encaminhado à Casa de Prisão Provisória de Palmas (CPPP), onde permanecerá à disposição do Poder Judiciário.

Após a lavratura de Termos Circunstanciados de Ocorrências, por uso de entorpecente, os demais indivíduos, que estavam no veículo, junto com Eduardo, foram liberados.

O delegado Guilherme Rocha Martins, titular da Denarc, alertou para os riscos que as drogas oferecem e pela disseminação das mesmas em todas as esferas da sociedade. “Essa prisão reascende o alerta de que as drogas não escolhem classe social, sendo responsáveis pela destruição de inúmeras famílias pertencentes a qualquer classe”, pontuou.

O delegado acrescentou ainda que a Polícia Civil não descansará enquanto houver oferta de drogas ilícitas no Tocantins. “Trabalharemos diuturnamente para que, cada vez menos, o jovem tocantinense tenha acesso a drogas ilícitas, recomendação repassada diariamente como prioridade pelo delegado-geral da Polícia Civil e pelo secretário da Segurança Pública”, concluiu.

VEJA TAMBÉM
Polícia Civil ouve sobreviventes do desabamento em gruta no Tocantins

Informações da Ascom

DEIXE UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal.