⁠⁠Da Redação Dermival Pereira
joaquim-maias
Prefeito eleito de Porto Nacional, Joaquim Maia – Foto: T1 Notícias

Em entrevista ao JM Noticia na manhã desta quinta-feira, 8, o prefeito eleito de Porto Nacional, Joaquim Maia (PV), falou dos desafios que pode encontrar à frente da Prefeitura, de transição e do que será prioridade em seu governo. Maia foi eleito com 54,30% dos votos, o que corresponde a 16.988 votos. Seu principal adversário, o atual prefeito Otoniel Andrade (PSDB), obteve 44,50% dos votos, o que somados chega a um total de 13.923 votos.

Questionado sobre o que será prioridade de sua gestão e o que a cidade pode esperar de seu governo, Maia disse que “Porto Nacional enfrenta um momento fiscal muito difícil, com salários dos servidores atrasados e com a não prestação de serviços importantes que não estão chegando à população nesse momento, para se ter uma ideia, das 16 Unidades Básicas de Saúde do município, apenas cinco estão funcionando, então a princípio nossa prioridade será a regularização desses serviços, a limpeza da cidade e a contenção de gastos, vamos trabalhar para garantir a população o acesso a esses serviços, mas também existe a questão fiscal que temos ajustar, reduzindo gastos com a maquina e diminuindo o número de cargos em comissão e essa é uma situação difícil, pois existem muitas famílias que precisam trabalhar, mas tenho certeza que essas medidas irão nos proporcionar fazer uma gestão que realmente atenda os anseios da nossa população”, afirmou.

Responsabilidade

VEJA TAMBÉM
PT oficializa Ronivon como vice de Joaquim Maia em Porto Nacional
Sobre o diálogo entre seu governo e a pulação e o que os portuenses podem esperar de sua gestão, umas das promessas de sua campanha, o prefeito eleito ressaltou que “desde o primeiro momento de nossa campanha tentamos transmitir ao povo de Porto Nacional um sentimento de mudança diferente do que vinha sendo feito no município, agora vamos trabalhar com responsabilidade objetivando corresponder esse sentimento, nossa meta é fazer uma gestão totalmente voltada aos interesses o povo”, declarou.
Joaquim Maia também falou sobre a confiança dos portuenses depositada nas urnas e de como pretende governar. “Recebemos a confiança de mais de 50% da população de Porto Nacional, mas a eleição terminou no dia 2 e outubro, a partir do dia 1º de janeiro, vamos trabalhar por toda a cidade, agora quem foi a favor ou contra é o que menos importa, a meta é fazer uma gestão atenda as demandas de toda a população”, disse.
Transição
De acordo com o prefeito, sua equipe de transição enfrentou algumas dificuldades no processo, o que acabou dificultando um conhecimento mais amplo sobre a real situação do município. “Logo no início conseguimos a abertura do Decreto para o processo de transição, mas enfrentamos algumas dificuldades de abertura, o que nos levou a pedir ajudar do Ministério Público, superados essas barreiras, o processo ocorreu normalmente, mas devido a esses impedimentos, não tivemos como ter uma visão mais ampla sobre a real situação do município, o que só irá ocorrer a partir do ia 1º de janeiro”, ressaltou.
O prefeito eleito finalizou sua entrevista prometendo valorizar os critérios técnicos para a composição de seu governo. “A participação de todos é importante e nós queremos sim, ouvir a nossa população, porém, quanto a composição do governo, vamos considerar o aspecto técnico e os apoios que tivermos também”, finalizou.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal.