Da Redação – Débora Senna

lucas-rodrigues-biblia
Lucas Rodrigues, da Igreja Batista quebrou record nacional – Foto: Débora Senna

A bíblia foi reproduzida de novo! Se essa informação soa banal é porque você ainda não sabe que, desta vez, não se trata da publicação de uma nova versão. Mas da proeza realizada por Lucas Rodrigues, 24, fiel frequentador da igreja  Batista Getsêmani e escrevente em um cartório da Capital, que à mão e utilizando quatro cadernos e 28 canetas esferográficas, reescreveu as escrituras sagradas em oito meses. Na semana que marca a comemoração do dia da Bíblia, o exemplo do jovem, que exibe orgulhoso o  resultado de seu trabalho, faz saltar os olhos de quem aprecia boas histórias, ostentando uma disposição que faz lembrar  a vanguarda daqueles que, ao longo da história, contribuíram com as inúmeras traduções e o consequente acesso ao livro mais lido do mundo.

“Estou começando mais um desafio que desejei no meu coração e que Deus veio confirmar. […] Não sei quanto tempo vou demorar, mas eu sei que vou conseguir”, diz Lucas ao inaugurar um tipo de diário de bordo- uma série de vídeos que registraram a jornada do rapaz, que se estendeu até o dia 2 de novembro.

biblia-recordNo rosto, o sorriso fácil de Lucas, substitui as palavras e o primeiro contato imprime a imagem de um moço tímido. A modéstia perceptível na entrevista e nos vídeos, esconde o foco e a ousadia de quem venceu o desafio que impôs a si mesmo. Lucas HolybBible, como é apelidado pelos amigos da igreja que frequenta, se inspirou em Lauane Viana, jovem paulista, registrada no RankBrasil como recordista entre os “manuscritores” da Bíblia. O jovem, que acaba de atingir a marca de Lauane, acredita que o apego ao livro, que é manual de fé para o cristãos,  está diretamente ligado à sua “identidade em Deus. Não há como conhecê-lo sem ler”.

VEJA TAMBÉM
Apenas 24% dos americanos acreditam na Bíblia de forma literal, diz estudo

Para reescrever as passagens, fidedignamente, da criação ao juízo final, ele não dava trégua. No primeiro mês, escrevia das 18h às 22h, todos os dias, após a chegada do trabalho, depois acrescentou à rotina o exercício de acordar às 5h, orar por trinta minutos e depois escrever até por volta de 7h. Já nos finais de semana e feriados, Lucas dobrava o emprenho, chegando a escrever por 12 horas, com pequenos intervalos para alimentação e higiene pessoal.

jovem-biblia
Lucas Rodrigues durante momento em que reescrevia a Bíblia – Foto: Arquivo Pessoal

Antes de se auto desafiar ele se descobriu um apaixonado pelo livro sagrado. Este ano, fez a leitura integral da Bíblia 3 vezes e no ano passado, só no mês de dezembro, concluiu em nove dias. Para quem tem interesse em repetir a façanha, ele deixa a dica; “Para ler em nove dias você não faz mais nada, só lê. Nesse período, eu também acordava às 5h da manhã, orava até umas 5h30 e ficava até às 18h. Parava para comer e ir ao banheiro”, pontua.

“Fiz um cálculo de 100 páginas por dia e segui o plano. No terceiro, pensei em desistir, no quinto retomei o ânimo e acabei lendo mais do que o normal por alguns momentos”, afirma o escrevente, que aproveitou a folga final de ano para estabelecer o próprio recorde. “Falei  para Deus que se ganhasse a folga, eu faria a leitura. Por incrível que pareça, fui o  único dispensado para o recesso”, acrescenta.

VEJA TAMBÉM
Bíblia é o livro mais lido no Brasil, aponta nova pesquisa

Segundo ele, nem o fato de ter  reescrito a Bíblia em oito meses, tão poucos as contínuas leituras o deixaram vaidoso, como temia no começo. “Percebi que minha força vem de Deus. Se não fosse ele, teria parado”, revela.

Ao final dos dias que marcaram sua vida, o diário de bordo mostra o  receio e timidez de Lucas em divulgar o feito. “Foram dias cansativos. Seja o que Deus quiser.  Por enquanto ninguém sabe, só eu. Não sei se divulgo ou não. Mas Deus está tocando no meu coração para divulgar e estimular as pessoas a lerem. No momento certo, com certeza, isso vai à tona”, declarou sem saber que seria personagem de reportagem especial.

O que dizem os amigos

“Esse ano, quatro jovens da igreja já concluíram a leitura da Bíblia por causa do testemunho dele, sendo que dois pela primeira vez. […] Me sinto orgulhoso. Quem dera, todo jovem fosse igual o Lucas”, declara o amigo e líder de jovens da igreja Batista Getsemani, no Santa Bárbara, Philipe Braga.

“Ele é referencial para nós em comprometimento, dedicação e amor ao próximo. Seu coração é cheio de bondade e suas falas cheias de verdade e mansidão, somos gratos ao Senhor pela vida dele e por nos presentear com essa honra de lidera-lo e caminhar ao lado dele”, define o menino prodígio, a amiga e também líder de jovens, Eliene Alves.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal.