Da Redação JM Notícia – Dermival Pereira

taguatinga-jackson-a-de-mouraFaltando pouco menos de um mês para a posse dos novos prefeitos em todo o País, na cidade de Taguatinga, região Sudeste do Estado, a comunidade ainda aguarda decisão do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), para saber quem será o próximo gestor da cidade. Isso porque o primeiro colocado, Paulo Roberto (PSD), teve o registro de candidatura indeferido pelo Tribunal Regional Eleitoral (TRE), ele chegou a concorrer o pleito e obteve a maioria os votos, porque a decisão da Corte foi proferida quando a relação dos candidatos já haviam sido inserida no sistemas das urnas eletrônicas.

Depois do Pleito, o TRE deferiu um pedido da coligação do segundo colocado, o candidato Miranda Taguatinga (PV), e anulou os votos recebidos por Paulo Roberto, que recorreu da decisão entrando com Embargos de Declaração com pedido de efeitos modificativos. O recurso também foi negado pela Corte, mas o postulante ao Paço Municipal de Taguatinga entrou com um Recurso Especial no Tribunal Superior Eleitoral, me Brasília, que ainda não julgou o caso.

taguatinga
O TRE concordou e indeferiu o registro a Paulo Roberto no dia 30 de setembro por 4 a 3 votos

Inelegível
Segundo as acusações, Paulo Roberto está inelegível devido a quatro acórdãos do Tribunal de Contas da União (TCU) que reprovaram convênios da Prefeitura de Taguatinga com a Fundação Nacional de Saúde (Funasa) entre 1997 e 2004, quando o candidato era o gestor do município. O TRE concordou e indeferiu o registro a Paulo Roberto no dia 30 de setembro por 4 a 3 votos, e por último, negou provimento ao seu recurso.

Sem Diploma
Embora no sistema da Justiça Eleitoral o candidato Miranda Taguatinga (PV) apareça como prefeito eleito ele não foi diplomado para assumir o cargo devido ao Recurso Especial impetrado por Paulo Roberto no TSE, em Brasília. A Expectativa é que se o processo não for julgado até a data da posse, o próximo presidente da Câmara de Vereadores do município, que será eleito também no dia 1º de janeiro, deve conduzir a cidade até que o julgamento aconteça. Há também a expectativa de que o TSE possa decidir pela realização de novas eleições no município.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal.