geoCom intuito de multiplicar a ideia da cultura de paz entre a comunidade tocantinense e o Sistema de Justiça, o vereador professor Junior Geo é um incentivador do conceito de Justiça Restaurativa no Tocantins. “ Conheci a ideia da Justiça Restaurativa em Brasília no ano passado e decidi propaga-la em nosso estado”, explicou Geo.

Os resultados foram tão positivos que um Núcleo da ESPERE, (Escolas de Perdão e Reconciliação) acaba de ser implantado na Defensoria Pública do Tocantins (DPE-TO). O lançamento aconteceu nesta quinta-feira, 8, durante o workshop Justiça Restaurativa. Essas escolas são uma Rede Internacional que utiliza a pedagogia do Perdão como um direito humano. “As possibilidades de perdão e reconciliação, promovendo uma convivência mais humana e menos violenta contribuem na reorganização da sociedade e na celeridade dos trabalhos da justiça”, justificou o parlamentar.

Segundo a coordenadora do NUDEM – Núcleo Especializado da de Promoção e Defesa dos Direitos da Mulher da DPE-TO, defensora pública Vanda Sueli, a prática da Justiça Restaurativa pode desafogar o atual Sistema de Justiça. “Acreditamos plenamente nas práticas da Justiça Restaurativa, principalmente pelos resultados que já vem sendo apresentado em outros estados”, esclareceu a defensora pública

VEJA TAMBÉM
Perseguição: Após defender tratamento para homossexuais, Defensoria pede indenização de R$ 1 milhão a pastor

Para fortalecer ainda mais a ideia do vereador Junior Geo, a DPE-TO realizará um curso, entre os dias 12 e 16 de dezembro, com o tema “Formação em Fundamentos de Justiça Restaurativa”. O objetivo é iniciar a construção de uma cultura que transforme violência e crie a paz, propiciando um novo olhar para as situações de conflitos vivenciadas pelas pessoas, famílias e comunidades. O curso tem a parceria da Faculdade Católica do Tocantins, a UNITINS – Universidade Estadual do Tocantins e a Arquidiocese de Palmas.

Justiça Restaurativa

Justiça Restaurativa é uma técnica de solução de conflitos que passa pela aprendizagem da convivência humana, pela prática da solidariedade e da justiça e pelo processamento e gerenciamento das emoções (raiva, ódio e desejo de vingança).

ESPERE

A Formação em Justiça Restaurativa está fundamentada na Metodologia das Escolas de Perdão e Reconciliação – ESPERE desenvolvida pela Fundación para la Reconciliação em Bogotá, Colômbia. Forma para as possibilidades do perdão e da reconciliação, aprimorando as habilidades necessárias para uma convivência mais humana e menos violenta.

Tem como conceitos fundamentais a consciência da raiva e do conflito presente nas relações e o exercício para sua superação ou transformação: encarar, sentir, falar e refletir a respeito; a justa justiça para restaurar o dano, recuperar o malfeito e restabelecer a convivência entre as pessoas; e a responsabilização e restauração como alternativa à punição.

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal.