No último sábado pela manhã um morador da Linha Guabiroba, em Saudades, andava a pé por uma estrada que dá acesso à BR 282 quando sentiu um mau cheiro. Ele foi verificar o que era e encontrou o corpo em estado de decomposição, com as mãos amarradas numa árvore, dentro de um matagal, a 20 metros da BR 282.

A Polícia Civil identificou o corpo como sendo da esposa do pastor Valdemar Santos, de 50 anos. Ele foi encaminhado para o Instituto Médico Legal de Chapecó e depois levado para a cidade de Santa Izabel do Oeste, no Paraná, onde foi velado e enterrado.

O delegado Ricardo Guedes da Cunha aguarda o resultado do laudo cadavérico para comprovar a causa da morte. Enquanto isso a polícia está trabalhando na investigação da autoria do homicídio.

De acordo com depoimento do marido da vítima, ele e a mulher chegaram na casa, que fica nos fundos da igreja, por volta das 23h do dia 19 de dezembro. Eles foram rendidos por três pessoas e levados no automóvel Corolla que pertencia à igreja. 

Próximo ao trevo da BR 282 que dá acesso a Modelo, os assaltantes abandonaram o carro e pegaram outro veículo. Alguns quilômetros adiante, ainda na BR 282, Valdemar foi solto. Os bandidos teriam levado a mulher mais adiante, no município vizinho. O corpo de Luciane foi encontrada a 20 metros da BR 282.

Relembre o caso:

O pastor Valdemar Santos e sua esposa Luciane, da Igreja Assembleia de Deus da cidade de Pinhalzinho (SC) foram vítimas de um assalto e sequestro relâmpago quando chegavam em sua residência por volta das 23 horas da segunda-feira (19).

Eles retornavam de um velório da cidade de Quilombo quando o crime ocorreu. Os filhos do casal não estavam em casa no momento do crime.

Pelo menos três homens armados renderam o casal, obrigaram as vítimas a entrar no apartamento onde subtraíram certa quantia em dinheiro, valor este utilizado para a construção da nova igreja. O casal foi então colocado em seu próprio veículo, um Toyota Corolla, sendo feitos de reféns. Os bandidos fugiram em sentido a Maravilha. Próximo ao trevo de acesso à cidade de Modelo, os criminosos libertaram o pastor e o obrigaram a entrar no mato, impondo-lhe a condição para que o mesmo não saísse do local em menos de duas horas.

Passado o tempo o pastor deixou a mata e conseguiu buscar por socorro. A Polícia Militar e Civil de toda a região, além do Saer, trabalharam nas buscas pela sua esposa.

O veículo levado da família já foi encontrado, mas até o momento não há qualquer informação sobre os autores do crime. Com informações Diário Catarinense

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal.