Pinhalzinho
Luciane teria uma apólice de seguro no valor aproximado de R$ 300 mil, onde o beneficiário era justamente o pastor

O pastor da Igreja Assembleia de Deus de Pinhalzinho, Valdemar Santos, marido da pastora Luciane Santos, de 29 anos, encontrada morta há duas semanas, foi preso na tarde desta sexta-feira, dia 13, no município. Ele é suspeito de ter assassinado a própria mulher.

O corpo de Luciane foi localizado por um agricultor por volta das 9h30 da manhã do dia 31 de dezembro de 2016, na Linha Lajeado Pedro, interior do município de Saudades, a 15 quilômetros de Pinhalzinho. O cadáver já estava em estado de decomposição, de acordo com o site Oeste Mais.

Luciane era pastora da Igreja Assembleia de Deus e estava desaparecida desde o dia 19 de dezembro. Na época, Valdemar informou que ele e a esposa foram sequestrados, com os bandidos levando R$ 14 mil do casal e liberando o pastor. Luciane teria seguido com os criminosos.

“O que chamou nossa atenção nesse caso, e nos levou a duvidar da inocência do pastor, foram vários desencontros. Primeiro de ele ter sido sequestrado juntamente com ela e liberado mais tarde com o celular. Outra situação eram o arranhões no corpo do pastor e as versões contraditórias que ele afirmava em depoimento”, disse o delegado Ricardo Guedes à rádio Nova FM.

“Nessa semana nós tivemos a certeza da autoria dele nesse assassinato”, acrescentou Ricardo . “As imagens das câmeras de videomonitoramento da cidade de Pinhalzinho mostram que o casal não foi rendido por assaltantes e nem levado por eles. As imagens mostram o casal sentado no banco da frente do carro, pastor dirigindo e sua esposa no carona”, relatou o delegado.

Luciane teria uma apólice de seguro no valor aproximado de R$ 300 mil, onde o beneficiário era justamente o pastor. Segundo a Polícia Civil, ela foi esfaqueada três vezes na altura do pescoço. O delegado Ricardo Guedes ainda não descarta o envolvimento de cúmplices. O pastor foi encaminhado para a cadeia pública do município de Maravilha.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal.