Estado Islâmico leva reféns vendados para execução. (Foto: Heavy)

Eles estão como ovelhas cercadas por lobos. Dezenas de trabalhadores cristãos egípcios estão aprisionados na Líbia e todas as estradas que levam à segurança de sua pátria foram bloqueadas por militantes do Estado Islâmico (ISIS), que prometeu matar a todos.

O grupo de vigilância sobre a perseguição religiosa ‘International Christian Concern’ (ICC) emitiu um alerta, depois de obter informações de que mais de 30 cristãos coptas cristãos do Egito se viram presos na Líbia, depois que foram cercados por militantes do Estado Islâmico.

Os “reféns” (que ainda não estão sob domínio direto do grupo terrorista) fazem parte de um grupo de egípcios que viajou para a Líbia para atuar em trabalhos0 temporários e conseguir e ganhar dinheiro para sustentar suas famílias, mas agora todos estão desesperados, tentando escapar e encontrar uma saída segura para a sua terra natal.

Um cristão egípcio disse à ‘ICC’ que os trabalhadores estão presos na cidade de Misrata (Líbia). Ele apelou às autoridades egípcias “para intervir e encontrar formas seguras de resgatar esses homens para levá-los de volta para suas casas”.

A ‘ICC’ conseguiu entrar em contato por telefone com um dos “reféns” egípcios. Ele disse que está com um grupo de cristãos que vivem em um prédio residencial em Misrata, na Líbia. “Esperamos voltar para nossas casas, no Egito, mas ainda não há nenhuma maneira segura de fazermos isso”, disse ele.

A International Christian Concern informou que a estrada que os trabalhadores usaram para fazer o trajeto do Egito para a Líbia passa pela cidade de Syrte (território líbio), “onde os extremistas frequentemente param ônibus e verificar as identidades procurando por ‘nomes de cristãos”.

Há outra estrada que os levaria para a capital da Líbia, Tripoli, a caminho do Egito, mas a via que vai lá também é controlada pelo Estado Islâmico, disse a organização cristã.

Em janeiro de 2015, o Estado Islâmico decapitou 21 cristãos coptas, que haviam sido sequestrados na Líbia. As imagens chocaram o mundo. (Imagem: Youtube)

Nação da cruz
Anteriormente, o Estado Islâmico declarou que continuaria matando cristãos onde quer que eles estivessem, inclusive aqueles que os protegem (mesmo que estes não sejam cristãos).

Há menos de dois anos, os terroristas deste mesmo grupo decapitaram 21 cristãos coptas (egípcios) sequestrados na Líbia. O grupo terrorista até lançou um vídeo de seu ato tenebroso, no que agora é considerado como uma das maiores execuções em massa de cristãos, já registradas por uma câmera.

Apesar do perigo de serem capturados e decapitados por militantes do Estado Islâmico na Líbia, alguns trabalhadores cristãos do Egito são forçados a ir para lá por falta de oportunidades de trabalho em seu país de origem. Esses cristãos enfrentam a marginalização e a discriminação no Egito, onde são forçados a competir até mesmo pelos empregos mais básicos e onde seus filhos são expulsos da escola, de acordo com a ICC.

“Devido a isso, eles não têm outra alternativa senão enfrentar o terror islâmico radical na Líbia para fornecer comida para seus filhos”, disse o grupo. Com informações: Guiame – CHRISTIAN CONCERN

DEIXE UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal.