Da Redação do JM Notícia

Velório de ex-muçulmano, morto após conversão a Cristo

Um líder muçulmano das Filipinas, de nome Datu, que perseguia violentamente os cristãos. Como um apóstolo Paulo moderno, acabou se convertendo e passou a pregar o evangelho de Jesus. Acabou morto por ter abraçado a nova fé.

A missão Christian Aid compartilhou o testemunho desse homem que durante a maior parte de sua vida seguiu fielmente os preceitos do Islã. Por isso, tinha ódio dos cristãos, a quem considerava infiéis.

As coisas ficaram piores quando descobriu que sua filha estava namorando Efren, filho de um pastor chamado Bagwis. Mesmo sendo contra, a data do casamento foi marcado. Datu disse aos muçulmanos de sua comunidade que queria matar Efren e toda a família do jovem. Chegou a atirar pedras contra o pastor, sua igreja e sua casa.

Depois de algum tempo, o líder muçulmano reconheceu que Efren era um bom homem. Acabou consentindo com o casamento após receber de Bagwis o pagamento de um bom dote, conforme a tradição local. Porém, a família insistia que o casamento fosse realizado em uma igreja, porque o noivo era cristão.

“Durante a cerimônia de casamento, o pastor Bagwis pregou sobre a crucificação de Jesus Cristo”, relatou um líder da igreja. “Datu e sua família se arrependeram de seus pecados, aceitaram a Cristo, creram nele e confessaram a Jesus Cristo publicamente”.

A notícia irritou seus parentes muçulmanos. Quando Datu e seu filho mais velho foram batizados, um mês depois, passaram a ser ameaçados. Seu filho anunciava corajosamente a Jesus na área predominantemente muçulmana em que viviam. Por questões de segurança, o pastor Bagwis pediu que ele e sua família mudassem para uma cidade distante, onde ele recebeu treinamento para o ministério.

Ao mesmo tempo, Datu aprendia mais sobre Cristo e pregava de maneira ousada. Como era esperado, passou a ser constantemente perseguido pelos seus parentes muçulmanos.

Segundo testemunhas, Datu dizia que não se importava, acreditando que merecia passar por  isso pois anteriormente perseguiu a Igreja.

“Ele sofreu as mesmas coisas que fizera contra o pastor Bagwis”, disse um diretor do ministério local. “Se antes ele apedrejou a igreja e o pastor Bagwis, passou a sofrer com estas mesmas coisas depois que se tornou cristão e começou obedecer a doutrina bíblica”, relatou.

Na última semana de dezembro de 2015, o filho de Datu foi para casa visitar sua família. Na semana seguinte, Datu foi brutalmente assassinado por causa de sua nova fé. Seu corpo foi encontrado com cinco marcas de facadas nas costas e seu pescoço foi cortado na frente e na nuca, no que pareceu ser uma tentativa de decapitação.

À Christian Aid, o diretor do ministério local explica que “Os muçulmanos cortam a cabeça quando não gostam de uma pessoa”. O crime nunca foi esclarecido, mas acredita-se que foi o próprio tio de Datu, que é o ‘braço direito’ do maior líder muçulmano da região. A missão está pedindo oração pela salvação dessas pessoas.

A igreja local conta que Datu morreu por ter compartilhando o evangelho na cidade.  Sua  história chama a atenção por ser parecida com a do apóstolo Paulo. Ele também perseguia os primeiros discípulos de Jesus Cristo, porém teve um encontro sobrenatural com Jesus e passou a ser um missionário que acabou morrendo por causa da sua fé.

Filipinas é o país mais cristianizado da Ásia, com a quinta maior população de cristãos do mundo. Cerca de 90% dos filipinos são cristãos, a maioria católicos.  Por ser um arquipélago, há ilhas do sul em que há muitos muçulmanos radicais, que lutam pela independência e a formação de um país islâmico.

No final de 2016, 14 cristãos foram assassinadas por terroristas muçulmanos quando uma capela foi atingida por explosivos. Além disso, 200 soldados jihadistas invadiram aldeias em Mindanao, deixando outros nove mortos. (Com informações Gospel Herald).

DEIXE UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal.