Da Redação do JM Notícia

Fatos ocorreram em 1º de janeiro deste ano, na cidade de Araguaína

O Ministério Público Estadual (MPE) apresentou nesta quinta-feira, 2, denúncia criminal contra Sayno Oliveira Silva, acusado de provocar as mortes de Lucas Alberto Rocha e Brenda Lima Ferreira, em um acidente de transito, ambos ocorridas em 1º de janeiro deste ano, na cidade de Araguaína.

Conforme o Ministério Público Estadual, “Sayno Oliveira, que é policial militar e encontrava-se de folga no dia do crime, estava embriagado e dirigia em alta velocidade em um trecho urbano da BR-153, quando colidiu com a motocicleta em que estavam as duas vítimas, arremessando-as contra o solo e causando as lesões que levaram Lucas e Brenda a óbito”.

Segundo a denúncia, “o policial militar conduzia seu automóvel, um Toyota modelo Corolla, a 111,76 km/h, em um trecho de acesso ao Setor Nova Araguaína onde a velocidade máxima permitida é de apenas 30 km/h. O fato ocorreu por volta das 20h”.

Segundo o MPE, “após colidir violentamente na traseira da motocicleta, ao invés de prestar socorro às vítimas, Sayno Oliveira efetuou disparos de revólver na via pública a fim de evitar a aproximação de curiosos que pudessem registrar imagens da cena”.

Lucas Alberto e Brenda Lima, que eram namorados, sofreram múltiplas fraturas e foram levados para atendimento no Hospital Regional de Araguaína, onde vieram a falecer.

VEJA TAMBÉM
Suspeito de estuprar servidora foi apreendido em Natividade pela Polícia Militar

As denúncias, segundo o MPE, são “baseada em inquérito da Polícia Civil, a denúncia criminal, proposta pelo Promotor de Justiça Paulo Alexandre Rodrigues de Siqueira, relata que o policial militar começou a ingerir bebida alcoólica por volta das 18 horas, em um bar situado no Bairro de Fátima, estando na companhia de um amigo. No local, Sayno Oliveira teria se exaltado, proferido palavras de baixo calão e apontado um revólver calibre 38 para o pescoço de um dos frequentadores”.

Crimes denunciados
O MPE denunciou Sayno Oliveira Silva pelos crimes de homicídio doloso, embriaguez ao volante e disparo de arma de fogo.

Também foi denunciado por lesão corporal grave, com relação às fraturas causadas ao amigo que se encontrava em seu automóvel no momento da colisão com a motocicleta.

Sayno Oliveira Silva foi denunciado, ainda, pelo crime de ameaça, em razão das intimidações a um dos frequentadores do bar onde ele começou a beber no início daquela noite.

Pedido de liminar
A Promotoria de Justiça pede que seja determinada, liminarmente, a suspensão do direito de dirigir do acusado durante o decorrer do processo, bem como que o mesmo seja proibido de frequentar bares e outros estabelecimentos similares e impedido de se ausentar da comarca em que reside sem prévia autorização judicial. (Com informações do Ministério Público).

DEIXE UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal.