Grupo terrorista derramou alcatrão (óleo inflamável) e depois ateou fogo sobre suas 15 vítimas, diante de diversas pessoas

O grupo terrorista do Estado islâmico no Iraque queimou vivos 15 civis, inclusive crianças, depois que estas pessoas foram flagradas tentando escapar da chamada “terra do califado”, disse uma fonte segura a uma mídia iraquiana.

Enquanto o Estado Islâmico continuam a perder terreno e sofrer grandes perdas em sua fortaleza iraquiana de Mosul nas mãos das tropas de libertação da coalizão liderada pelo Iraque, os terroristas têm investido vigorosamente contra os residentes que fogem de seus vários territórios.

Cerca de duas horas a sudeste de Mosul está o baluarte de Kirkuk, uma cidade que membros de três famílias iraquianas foram recentemente capturadas, fugindo.

De acordo com o jornal Iraqi News‘, uma fonte segura não identificada disse ao canal de televisão satélite iraquiano Alsumaria, que os 15 civis foram descobertos à beira da estrada pelo Estado Islâmico e acabaram sendo levados para a cidade de Hawija, cerca de uma hora a oeste de Kirkuk, para serem executados publicamente.

“Os militantes do ‘Daesh’ [nome popularmente usado para o Estado Islâmico no Oriente Médio] queimaram até a morte 15 civis, pertencentes a três famílias da aldeia de al-Shajarah em Hawija”, disse a fonte.

A fonte explicou que as vítimas foram cobertas de alcatrão (um óleo inflamável) e depois os terroristas jogaram fogo sobre elas. Enquanto queimavam suas vítimas vivas diante de muitas pessoas, os militantes alertaram os espectadores de que eles teriam de enfrentar um destino semelhante se tentassem escapar do domínio principal do Estado Islâmico no Iraque.

O ‘Iraqi News’ informou que o Estado Islâmico proibiu as vítimas de deixar o centro de Kirkuk e as áreas circundantes da província de Saladin.

Execuções em série

A execução brutal das três famílias aconteceu depois que foi relatado no mês passado que o grupo terrorista executou outra família que tentou fugir de Kirkuk. Essa família, que consistia em quatro filhos e uma mãe, também foi queimada até a morte em Hawija.

De forma semelhante, os terroristas supostamente amarraram a mãe e seus filhos e depois cobriram seus corpos com óleo, antes de tocar fogo em suas vítimas.

Além do relatório sobre o ocorrido em Kirkuk, os jihadistas do EI em Mosul supostamente bombardearam cinco escolas diferentes na área de Mosul. As explosões mataram pelo menos três estudantes e um professor, segundo informou o Iraqi News.

“O grupo do Estado Islâmico bombardeou as escolas de al-Zohour, al-Wehda, Tatwan, Mohamed al-Dorra e al-Naaniya com bombas de morteiro, matando três estudantes e um professor, além de ferir 18 estudantes e seis outros professores”, informou um comunicado.

O Estado Islâmico também é o responsável pelo genocídio de cristãos, não apenas no Oriente Médio, mas também em regiões da África, enquanto grupos como o Boko Haram juram lealdade à organização terrorista para promover a matança de todos os que acreditam em Jesus. Com informações Guiame

DEIXE UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal.