pastor Airton José Alves, presidente da Assembleia de Deus em Pernambuco – Foto: Divulgação

Um documento emitido pela Igreja Evangélica Assembleia de Deus em Pernambuco localizada na Avenida Cruz Cabugá, no bairro de Santo Amaro, na área central do Recife, vem chamando a atenção nas redes sociais. Em um trecho destacado com letras maiúsculas, o texto em questão frisa que adolescentes que fazem parte do grupo de jovens da instituição religiosa estão proibidos de namorar.

Adolescentes componentes da União, NÃO ESTÃO AUTORIZADOS A NAMORAR. Os que insistirem devem ser encaminhados ao Presbítero e ao Coordenador da área, que já estão devidamente orientados como proceder”, sentencia o texto.

O documento é assinado pelo presidente da Assembleia de Deus em Pernambuco, pastor Airton José Alves, e sustentado pela coordenação do Departamento de Adolescentes. O grupo de jovens é formado por pré-adolescentes e adolescentes entre 13 e 18 anos.

O aviso ainda lista outras recomendações e tem caráter de circular. Em outro ponto, o texto ainda determina que o jovem que postar fotos ou comentários que “comprometam ou exponham sua reputação”, assim como de terceiros, será chamado e orientado.

VEJA TAMBÉM
Henrique Meirelles grava vídeo pedindo oração pela economia

“Se insistir nesse comportamento, deve ser encaminhado ao Presbitéro e ao Coordenador da Área. Contudo, se a situação persistir o caso deve ser encaminhado ao Departamento”, alerta o texto.

Por telefone, a assessoria de imprensa da igreja confirmou a veracidade do texto e comentou que a circular foi entregue às lideranças do grupo de jovens com o intuito de orientar os pais para não deixarem seus filhos “soltos e, assim, evitar uma gravidez indesejada”. Principalmente, durante o período de festividades como o carnaval. A comunicação da entidade religiosa ainda defendeu que o termo usado foi incorreto e que, na verdade, a igreja queria dizer “não é recomendado”. Com informações G1 PE

DEIXE UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal.