Da Redação JM Notícia

Pastor Marcos Orelo, presidente da Assembleia de Deus Madureira de Colinas do Tocantins – Foto: Reprodução

Depois de seis dias desaparecido o jovem pastor Walyson de Sousa (24) da Assembleia de Deus Madureira de Colinas -TO foi reintegrado ao seio familiar neste domingo, 19. Ele se encontra em Araguatins -TO e o seu desaparecimento se tornou viral nas redes sociais em vários estados, depois de sair de casa na última segunda-feira, 13, para pagar ferragens da igreja.

De acordo com o pastor presidente da Assembleia de Deus Madureira de Colinas do Tocantins, Marcos Orelo, em entrevista ao site gospel JM Notícia, o pastor Walyson de Sousa “sofreu um surto psicótico, comprou passagem de ônibus e foi parar em Belém – Pará”.

Nas rede sociais, chegou-se a falar em possível sequestro do pastor Walyson, já que ele teria saído com recursos da igreja para efetuar o pagamento das ferragens, no entanto, foi negado veementemente pelo pastor Marcos Orelo:

“Não houve sequestro não, ele também não fugiu com dinheiro de igreja, não houve nada disso. O que aconteceu com o pastor Walyson foi que ele surtou, ele teve um surto, pegou um ônibus e foi parar no Belém. Então, quando ele fez contato, ele fez contato lá da rodoviária de Belém  do Pará”, disse pastor Marcos Orelo, líder da AD Madureira em Colinas -TO.

Igreja em Colinas do Tocantins, pastoreada pelo pastor Walyson de Sousa -Foto: Divulgação

ESTADO DE SAÚDE 

Para o pastor Orelo que acompanhou bem de perto a situação do pastor Walyson, ele chegou em um estado bem crítico, após passar esses dias praticamente sem comer, sem trocar de roupa e tomar banho e não soube ainda explicar o motivo do que teria levado o pastor a sofrer o surto: 

“Ele ficou esses dias praticamente sem comer, sem tomar banho, sem trocar de roupa… agora por que ele surtou é que está o ponto de interrogação né! é preciso de um acompanhamento de um psicólogo”… “Por que ele surtou, agente não sabe”, disse Orelo.

Áudio  – Pastor Marcos Orelo ao JM Notícia

Ainda de acordo com o pastor Orelo, Walyson irá ficar afastado temporariamente das funções de pastor até analisar se ele tem condições de assumir ou não o trabalho como pastor dirigente.

O JM Notícia entrou com contato com a Polícia Civil da cidade de Colinas -TO que está investigando o caso, no entanto, o expediente somente incia a partir das 12:30h.