Fernandes usou como parâmetro o prefeito de São Paulo, João Dória (PSDB) que determinou a redução dos valores de aluguel pagos pela prefeitura de São Paulo em 30%.
Fernandes usou como parâmetro o prefeito de São Paulo, João Dória (PSDB) que determinou a redução dos valores de aluguel pagos pela prefeitura de São Paulo em 30%.

Ao usar a tribuna nesta  terça-feira, 21, o vereador  Diogo Fernandes (PSD) sugeriu ao prefeito Carlos Amastha (PSB) que faça renegociação dos contratos de alugueis pagos pela prefeitura, reduzindo pelo menos em 30% os valores de aluguéis de imóveis onde funcionam órgãos do município.

Fernandes informou que  está em estudo um levantamento sobre a economia de recursos que a prefeitura terá se renegociar os contratos e em breve apresentará requerimento sobre o assunto. “Não será difícil renegociar, pois acredito no perfil do prefeito Amastha em levar adiante propostas que beneficiam a população”, disse.

Fernandes usou como parâmetro o prefeito de São Paulo, João Dória (PSDB) que determinou a redução dos valores de aluguel pagos pela prefeitura de São Paulo  em 30%. 

Requerimento

Na mesma sessão desta terça-feira, 21,  foi aprovado o requerimento do  vereador Diogo Fernandes (PSD), que solicita a transferência do Conselho Tutelar da região Sul I para o antigo o prédio do Centro de Referência de Assistência Social  (CRAS) do Morada do Sol II, em Palmas.

O Vereador argumentou que o atual prédio onde o Conselho funciona é alugado, enquanto o prédio do Morada do Sol II é da prefeitura e está fechado há mais de um ano. “Além de oferecer melhores condições de trabalho para os funcionários, com atendimentos de qualidade à população, a transferência vai propiciar economia de recursos públicos”, enfatizou.

Comissão

Presidente da Comissão de Constituição, Justiça e Redação (CCJ),  Diogo Fernandes (PSD)  se reúne com integrantes da CCJ,  hoje, às 14h, quando serão distribuídas nove medidas provisórias para relatorias. (Ascom do Vereador).

COMPARTILHAR

Atenção: Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal.