Mark Zuckerberg

A rede social Facebook pediu desculpas formalmente por ter suspendido a conta de uma blogueira cristã que postou versículos bíblicos condenando a homossexualidade.

Elizabeth Johnson, mais conhecida como “Activist Mommy”, é mãe de 10 filhos e escreve regularmente sobre família. Recentemente teve sua conta do Facebook bloqueada, acusada de propagar “discurso de ódio” nas redes.

Ela havia postado versículos dos livros de Levítico e de Romanos que tratam sobre a prática homossexual. Aparentemente, o termo “abominação” foi identificado pelo algoritmo como algo que fere os termos de serviço da rede social.

Johnson reclamou que o Facebook apagou suas postagens e suspendeu sua conta em três ocasiões distintas. Ela contatou sites cristãos em língua inglesa e logo o assunto ganhou projeção.

“Eles estão amordaçando a mim e a mensagem bíblica, enquanto Mark Zuckerberg afirma que o FB é imparcial”, disse ela em um comunicado que recebeu grande apoio da comunidade cristã norte-americana. “O post que o Facebook excluiu não incluía palavrões nem ameaças, e muito menos assédio. Era uma discussão intelectual, com comentários sobre a Bíblia”.

Agora, o Facebook resolveu se desculpar oficialmente. Ele reativou a conta de Johnson depois de ser atacado pela mídia conservadora. Um porta-voz da empresa disse que o site suspendeu a conta por engano.

“O post foi removido por engano e nós o restauramos assim que fizemos uma investigação”, afirma o porta-voz em um e-mail enviado à blogueira, que ela reproduziu. “Nossa equipe recebe milhões de denúncias por semana e às vezes fazemos coisas erradas. Lamentamos qualquer inconveniente que isso possa ter causado”, termina a nota divulgada pela CBN.

Apesar de ter aceitado o pedido de desculpas do Facebook, Johnson acredita que há algo mais por trás disso. “Dizer que foi um acidente é piada! Eles me enviaram cópia do post e disseram especificamente que violava os padrões da comunidade. Eles agora estão dizendo que fizeram isso e me proibiram de usar a rede por 10 dias acidentalmente? Não! Foi preciso que isso se tornasse uma notícia de alcance nacional para eu recuperar o acesso à minha página. E quantos usuários do Facebook que não tem esse luxo? “, questiona ela.

Agora, Johnson disse que vai denunciar outros exemplos de cristãos censurados pelo Facebook. Contou que nos últimos dias recebeu muitas mensagens, prints de tela e e-mails provando que o “sistema de filtragem” do Facebook está punindo material de páginas conservadoras e cristãs.

Ela afirma que Zuckerberg está se aproveitando da popularidade da rede que criou para “promover sua agenda política, religiosa e globalista pessoal”. Encerrou dizendo que o Facebook pode se transformar em “uma arma ideológica que pune com suspensões e exclusões os que não se submetem a seus ideais”. Com informações Gospel Prime

DEIXE UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal.