Prefeitura de Palmas terá 89 residentes atuando na rede pública da Capital

A rede municipal de Saúde de Palmas recebeu a partir desta segunda-feira, 13, 89 novos residentes nas áreas Médica e Multiprofissional em Saúde da Família e Comunidade, Saúde Coletiva, Saúde Mental e Enfermagem Obstétrica. Os programas, oferecidos pela Escola de Saúde Pública de Palmas (Fesp), têm relação direta com a qualificação do atendimento ao usuário dos centros de saúde de Palmas, tanto pelos alunos como seus preceptores e médicos contratados, egressos da residência.

Estudo feito pela área de Atenção Primária mostra que os profissionais de saúde egressos dos programas de residência têm produtividade cerca de 30% maior em relação aos demais profissionais, além de mais resolubilidade nos atendimentos, encaminhando menos pacientes para outros níveis de atenção. 

De acordo com a coordenadora geral da Fesp, Juliana Bruno, esses novos profissionais têm a missão de lutar pelo Sistema Único de Saúde (SUS). “A residência foi uma das maiores conquistas para a Capital. Graças a este programa conseguimos ampliar em 100% a cobertura na atenção básica, o que nos enche de orgulho, ainda mais em saber que não estamos apenas formando novos trabalhadores em saúde, mas profissionais comprometidos com a saúde pública e com o SUS”, ressalta.

A tocantinense Gabriela Barreira deixou o Estado para cursar Medicina na Universidade Federal do Maranhão (UFMA), recém-formada e de volta a Palmas há seis meses, ela viu na residência a oportunidade de realizar seu sonho. “Sempre quis Medicina de Família e Comunidade porque é o que eu quero realmente para a vida e quero fazer o melhor pelos pacientes. Eu não conhecia como era a rede de saúde de Palmas, não sabia que era tudo informatizado, nós mesmos alimentamos o sistema o que facilita muito, tanto para nós médicos quanto para os pacientes”, disse Gabriela.

Entre os novos residentes são 19 médicos (residência médica) e 70 profissionais distribuídos nas áreas de Educação Física, Fisioterapia, Odontologia, Psicologia, Nutrição, Enfermagem e Serviço Social. Esses profissionais se juntam a outros 68 ainda em formação por esses programas.

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal.