Novo bairro está sendo construído ao lado do Residencial Costa Esmeralda, por meio do MCMV Associativismo
Araguaína vem trabalhando nos últimos quatro anos para diminuir consideravelmente o déficit habitacional. Até o momento, desde 2013, foram entregues 4.730 casas, dentro do Programa Minha Casa Minha Vida (MCMV) com projetos e lotes doados pela Prefeitura. Além das mais de 800 casas em construção no Residencial Parque do Lago, na região sul de Araguaína, outras 500 novas unidades estão em construção na cidade no Residencial Primavera, na região norte.
 
O novo bairro contará com 1.000 casas e está sendo construído ao lado do Residencial Costa Esmeralda, por meio do MCMV Associativismo. A construção dessas unidades habitacionais começou em agosto do ano passado, com a limpeza e a terraplanagem da área, tendo um prazo de execução de 24 meses.
 
De acordo com um dos engenheiros responsáveis pelas obras de construção do residencial, José Guedes, a forma de construção é produção em série para otimizar a mão de obra, possibilitando mais rapidez na obra. Segundo Guedes, a expectativa é de construir 60 casas por mês, uma média de três casas por dia.
 
“Agora estamos conseguindo concretar uma média de duas casas por dia, devido ao período chuvoso. Mas passando as chuvas, vamos intensificar os trabalhos”, explicou.
 
Segundo o engenheiro, primeiro faz o radiê (laje de concreto armado), ou seja, a fundação das casas; em seguida passa para a armação metálica. Depois desse processo, passa para instalações elétricas e hidrossanitárias (tubulações). Com estas partes prontas, faz-se a cobertura das unidades.
 
Bairro planejado
Como os outros bairros construídos na gestão de Dimas, o Residencial Primavera é totalmente planejado, e será entregue com toda infraestrutura de qualidade, como asfalto, calçadas com acessibilidade, redes de esgoto, água e energia, além de equipamentos públicos.
 
As casas possuem dois quartos, sala com cozinha (modelo americano), banheiro, área de serviço, piso cerâmico e forro.  O residencial possui três áreas públicas para a construção de praças e um espaço destinado para a construção de equipamentos públicos.
 
Beneficiários
As pessoas contempladas neste residencial estão cadastradas junto à Sociedade de Apoio à Luta Pela Moradia do Tocantins (SALM-TO). Para acompanhar as obras de construção, foi eleita uma Comissão de Acompanhamento da Obra (CAO) e também uma Comissão de Representantes do Empreendimento (CRE). Os beneficiários foram cadastrados por não possuíram imóveis e ter renda até R$ 1.800, conforme critérios do Programa Minha Casa Minha Vida.
 
MCMV Associativismo
O Programa Minha Casa Minha Vida Associativismo foi criado pelo Governo Federal em 2009, com objetivo de tornar a moradia acessível às famílias organizadas por meio de cooperativas habitacionais, associações e demais entidades privadas sem fins lucrativos.
 
A Prefeitura é parceira no trâmite, tendo a Secretaria da Assistência Social, Trabalho e Habitação realizando o cadastro e a pré-seleção das famílias a serem contempladas como beneficiários, garantidos através de recursos do FAR (Fundo de Arrendamento Residencial). Em seguida, a Caixa procede com a assinatura dos contratos.

A forma de construção é produção em série para otimizar a mão de obra, possibilitando mais rapidez na obra

Primeiro faz o radiê (laje de concreto armado), ou seja, a fundação das casas; em seguida passa para a armação metálica

A expectativa é de construir 60 casas por mês, uma média de três casas por dia
COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal.