Da Redação do JM Notícia- Dermival Pereira

Vereadores criticam eleições da Uvet

As eleições da União dos Vereadores do Estado do Tocantins (Uvet), para o quadriênio 2017-2021, realizada no última sexta-feira, 31, foi duramente criticada pelos vereadores de Palmas na sessão plenária da Câmara desta terça-feira, 4. No pleito, o vereador de Araguaína, Terciliano Gomes (SD), foi eleito presidente da Uvet com 275 votos. A chapa eleita tem como vice, o vereador Elsio Ribeiro de Tocantinópolis. Júnior Pacheco, segundo colocado, de Colinas do Tocantins, obteve 114 votos. A apuração dos votos foi feita na Assembleia Legislativa.

O assunto foi levantado pelo vereador Filipe Fernandes (PSC), na tribuna da Câmara, duranta discurso feito nesta terça-feira, 4. Conforme o parlamentar, que teceu duras críticas ao processo eleitoral da Uvet, as eleições foi uma “presepada”. “Quero registrar minha indignação pela forma como as eleições foram realizadas, nada contra os ex-vereadores e nem aqueles que não ganharam as eleições, mas a Uvet tem que representar os vereadores, e da forma como aconteceu, foi uma presepada, pois praticamente toda a ex-gestão votou, votaram também ex-vereadores e suplentes”, criticou.

Vereador de Araguaína, Terciliano Gomes foi eleito presidente da Uvet

Já o presidente da Casa, vereador José do Lago Folha (PSD), disse que “a Câmara de Palmas deve se desfilar da Uvet, devido ao processo eleitoral que ocorreu na última sexta-feira. Daqui uns dias a Uvet será presidida por um ex-vereador”, criticou.

O vereador Lúcio Campelo (PR), também comentou o assunto. “Eu votei no Terciliano porque achei que o Júnior Geo estava na chapa e eu espero que ele continue esse trabalho e que ele faça uma reformulação na Uvet daqui para frente, pois houve um equívoco das gestões anteriores”, pontou.

Os vereadores Etinho Nordeste (PTB) e Vandim da Cerâmica (PSC), também comentaram o assunto. “O que deixa a gente indignado é a forma como foi conduzido processo, que o Terciliano conduza com transparência esse pleito poque nós merecemo respeito”, disse Etinho.

“Acho que tínhamos que entrar para anular aquela eleição, estamos com a representação desmoralizada”, criticou Vandim.

Júnior Geo (PROS), que integrava a chapa vencedora e na última hora ficou de fora, disse que “a chapa apresentada não foi a que se configurou, foi alterada de última hora, o que resultou no meu afastamento”, disse.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal.