Da Redação do JM Notícia 

Bancada Evangélica pode ser extinta em 2018

O Congresso Nacional discute atualmente um projeto que ronda o poder legislativo a décadas. A reforma política que já entrou e saiu de pauta por várias vezes e em vários governos, agora com a ameaça que a operação Lava Jato tem causado no meio político, parlamentares tentam a todo custo aprovar uma reforma que podem livrar políticos da cadeia.

Mas o que chama atenção no atual projeto, é um ponto que poderá extinguir de vez a bancada evangélica do Congresso Nacional. Se esse ponto da reforma passar e for aprovado pelo Congresso, a única igreja que seria beneficiada seria a Igreja Universal, que ha 10 anos montou o PRB (Partido Republicano Brasileiro) e tem em seu quadro partidário a maioria absoluta de dirigentes ligados a igreja, inclusive grandes números de pastores e bispos eleitos pelo PRB.

Projeto que tramita no Congresso pode extinguir Bancada Evangélica em 2018

Na relatoria do atual projeto de reforma política, está o deputado federal de São Paulo Vicente Cândido (PT – SP), o deputado já manifestou favorável a alguns pontos que estão sendo analisados na comissão que trata do assunto.

VEJA TAMBÉM
Maia quer urgência na aprovação da reforma política e defende sistema distrital misto

Financiamento público de campanhas é outro ponto que a atual reforma prevê que toda a campanha seja financiada com verbas do fundo partidário, e que proibissem verbas de empresas ou pessoas físicas para campanhas, esse ponto poderá tirar dos cofres públicos cerca de R$ 800 milhões para que seja financiadas campanhas de partidos e políticos em todo o País.

Voto em lista fechada e pré-ordenada, esse voto em lista, faz com que o eleitor deixe de votar em um determinado candidato e vote no partido que terá sua lista dos primeiros colocados a ocuparem as respectivas cadeiras no parlamento brasileiro.

Se esta proposta passar, sabemos que quem controlará e escolherá os futuros políticos serão os presidentes de partidos políticos, e em uma breve pesquisa, das dezenas de partidos, é raríssimo ver líderes religiosos na presidência dos mesmos, sendo assim, os líderes dos partidos poderá escolher se querem ou não que os primeiros de sua lista partidária sejam evangélicos.

Outro ponto da reforma é a proposta do senador José Serra (PSDB – SP), ele pretende incluir na reforma o voto distrital, e caso esse ponto seja aprovado, os deputados e vereadores evangélicos serão extintos das casas de leis do Brasil, pois a força das igrejas é bem dispersada a nível municipal e estadual, com isso seria muito difícil ou quase impossível eleger um candidato em determinada região da cidade ou do estado.

VEJA TAMBÉM
Lista Fechada, um atentado à democracia - Por Léo Barbosa

A reforma política está sendo discutida no Congresso e você pode influenciar ligando para o deputado que você elegeu e se posicionando a favor ou contra o projeto. Os deputados e senadores pretendem aprovar a reforma política ainda esse semestre para que a mesma entre em vigor a partir de 2018, fique atento. (Fonte:Portalpadom.com.br).

DEIXE UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal.