“Deus parou meus planos para cumprir os Dele”, diz ex-integrante do ‘Cirque du Soleil’

Aos 27 anos de idade, Bárbara Chaves pode dizer Deus a tem ensinado bastante sobre os benefícios de seguir os planos dEle em vez de suas próprias vontades.

Hoje formada em artes cênicas e missionária com passagem pela JOCUM e pelo Centro Evangélico de Missões (CEM), ela revelou quem a conheceu anos atrás, nunca diria que ela iria se tornar uma cristã e se dedicar de tal forma ao Reino de Deus.

“Quem me viu há alguns anos nunca diria que me tornaria cristã, quanto mais missionária!”, contou Bárbara em um testemunho publicado no site da revista Ultimato.

Ela explicou que até nasceu em um lar cristão, mas seus conflitos pessoais e as dificuldades de relacionamento com jovens da igreja contribuíram para que ela se afastasse de Deus.

“Nasci em um lar cristão e na infância gostava de ir à igreja. Na adolescência, passei por conflitos pessoais, não me dava bem com os jovens na igreja e sofria bullying. Com 15 anos tornei-me ateia. Foi uma fase difícil, sentia-me vazia e sozinha. Isso se prolongou por mais oito anos de minha vida”, contou.

Bárbara se empenhou em realizar seu grande sonho: trabalhar com os artistas do mundialmente famoso ‘Cirque du Soleil’ e finalmente conseguiu integrar a equipe para a turnê de 2012.

“Eu era a ‘faz-tudo’, atendia na bilheteria e aos clientes, desmontava a tenda etc. Ganhava pouco e não recebia ajuda para a passagem e estadia, e a alimentação era uma por dia. Loucura, não? Fiz isso pra tentar fazer contatos lá dentro”, explicou.

Mas a realização do sonho acabou perdendo seu encanto, quando Bárbara descobriu o que estava por trás de parte da “magia” de muitos daqueles artistas.

“Até que um dia conheci um dos líderes dos palhaços. Ele me ouvia falando com aquela paixão pelo Cirque e, como um balde de água fria, mas com muito carinho, me aconselhou a não ser artista ali, pois eu não teria liberdade artística, faria a mesma coisa por anos e enlouqueceria com aquela realidade. A fantasia acabou. Vi que aquele ambiente vazio, libertino, ‘carpe diem’ e de drogas não era para mim”, contou.


Depressão

Desiludida com o ‘Cirque du Soleil’, Bárbara Chaves decidiu voltar para casa e partir outra atividade artística que atraía sua paixão: o cinema.

“Comecei a planejar a minha vida: juntaria dinheiro como garçonete e depois iria para o Rio de Janeiro começar minha carreira”, contou.

Em 2013, ela começou a trabalhar em um restaurante, mas com apenas 40 dias de trabalho, uma dor insuportável em seu pé esquerdo a impediu de continuar com seu emprego. Além disso, uma sequência de ocorrências difíceis de lidar a levaram até mesmo a pensar em suicídio.

“Fui ao médico e soube que durante a adolescência, dois ossos do pé colaram. Além disso, na mesma época, minha mãe foi diagnosticada com câncer. Tudo de uma só vez! Tive uma depressão forte e quase tirei minha vida”, revelou ela.

Clamor
No alto de sua dor e à beira do suicídio, Bárbara clamou a Deus para que Ele se revelasse. Ela O buscou desesperadamente em diversas igrejas.

“Um dia falei: ‘Deus, se você existe mesmo, apareça, senão eu me mato’. Procurei-o em busca de sua existência, e todos os dias ia a igrejas diferentes”, contou.

Até que um dia, em uma reunião de oração, ela vivenciou algo diferente, que começou a mexer com sua fé.

“Em uma reunião de oração, perguntaram se eu tinha algum pedido e eu disse: ‘Eu quero ter essa fé que vocês têm’. Depois da oração uma jovem perguntou: ‘Bárbara, você tem algum problema no pé?’. Eu, muito surpresa, pois ninguém me conhecia, respondi que sim, e ela disse: ‘Deus me revelou, mas pode ficar tranquila que o propósito para a sua vida não vai deixar de ser cumprido por conta disso”, contou ela, se lembrando daquela noite marcante.

“Saí da igreja com muita paz e a dor crônica que eu sentia durante meses passou totalmente, ouvi uma voz na cabeça: ‘Mexa o pé’. Olhei pra baixo e estava conseguindo mexer meu pé”, acrescentou.

Sua experiência de cura fortaleceu sua fé e também acabou lhe dando forças para apoiar sua mãe na luta contra o câncer.

“Daí nasceu a convicção para me converter, fiz profissão de fé e pude ajudar mais a minha mãe, orando por ela e graças a Deus seu tratamento foi eficaz”, contou. “Deus parou meus planos para cumprir o propósito dele”.

Bárbara explicou que apesar dela ter se livrado da dor crônica que sentia em seu pé, ainda não está completamente curada. Porém isto não é mais motivo de preocupação para ela.

“Meu pé ainda não está cem por cento, sinto dor e manco, mas o que sinto nem se compara ao que era antes. E prefiro dessa forma, porque toda vez que sinto dor eu me lembro do amor e cuidado de Deus comigo, e que não importa se vou andar ou não, o propósito Dele será cumprido”, afirmou.

“Deus parou meus planos para eu não mais controlar minha vida, mas sim para confiar nele, voltar para ele e ter um relacionamento com ele”, acrescentou.

Bárbara Chaves e seu namorado, Natan atuam como missionários e estão estudando no Centro Evangélico de Missões. (Foto: Ultimato)
Chamado
Ainda no ano de 2013, Bárbara sentiu o chamado para servir de forma mais intensa no Reino de Deus foi estudar mais sobre missões na JOCUM.

Na base missionária, ela conheceu seu atual namorado, Natan, com quem atua como missionária.

Atualmente, Bárbara e Natan estão estudando no Centro Evangélico de Missões (CEM) e se preparando para casar e partir para o campo missionário, entre jovens ateus, na Europa. Com informações Guiame

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal.