Por pastor Sidiney Figueredo

 O Diabo ao longo dos séculos tentou eliminar o povo de Israel por ser este povo ser herdeiro de todas as promessas veterotestamentárias, tentando exterminar esse povo através de povos como os filisteus, amonitas, moabitas, assírios, babilônios, egípcios, persas, gregos, romanos, católicos, turcos, sarracenos, árabes…, pois o Diabo sabe que se ele eliminar os judeus, as promessas de Deus cairiam por terra, pois o Messias reinará no Milênio em Jerusalém. Ao  longo  da  sua  história a nação de Israel por desobedecer as ordenanças de Deus fez com que o Senhor voltasse as suas costas para eles, deixando-os a mercê dos seus inimigos. Basicamente isso começou a ocorrer no reinado de Salomão e posteriormente de seu filho Roboão. A nação israelita foi divida em duas, com Roboão reinando sobre Judá com duas tribos no Sul tendo a capital em Jerusalém, e Jeroboão reinando sobre Israel com dez tribos no Norte tendo a capital em Samaria. Por volta do ano 721 a.C Salmanasar V rei da Assíria derrubou o reino de Israel e os dispersou pelas nações e repovoou a cidade de Samaria com escravos vindos de outras nações  (2 Rs:17,24). Foi por volta de 607 a.C que Nabucodonosor rei da Babilônia subjugou e destruiu a cidade de Jerusalém juntamente com o magnífico templo construído pelo rei Salomão (2 Rs:25,8-22). O povo de Israel depois do septuagésimo ano do cativeiro em Babilônia voltou novamente para a sua terra sob a ordem dos persas (2Cr:36,20-26). Posteriormente os gregos obtiveram o domínio da palestina, e o general Antíoco Epífanes do reino de selêuco na Síria, levantou uma perseguição contra os judeus e a sua religião, matando a todos os que se negavam a adorar aos seus deuses, promovendo uma grande matança na terra de Israel e exterminando grande parte do povo judeu. Quando o império romano conquistou as terras gregas os judeus receberam certa liberdade religiosa para adorarem ao seu Deus. O próprio rei Herodes que era edomita pagou 1.000 sacerdotes levitas para reconstruírem o templo judeu, e também foi restaurado o sacrifício diário.

A destruição de Jerusalém

No ano 66 a.D os judeus rebelaram-se contra Roma, terríveis foram as calamidades que vieram sobre os judeus e sua santa cidade. Pois os judeus expulsaram o general Céstio Galo e os seus exércitos de Jerusalém. Quatro anos depois os romanos marcharam novamente contra os judeus, desta vez sob o comando do general Tito, isto aconteceu na primavera do ano 70 a.D. O general Tito cercou a cidade de Jerusalém com um muro de estacas de oito quilômetros de extensão (Lc: 19,43), durante um período de quatro meses. Neste  período  de  sítio  os  judeus  que  estavam  dentro  da cidade morriam de fome, e a situação era tão crítica que os judeus comiam o couro das sandálias e dos cinturões e dos escudos, pouco depois começaram a comer aqueles que morriam; mães comiam os seus bebês como predissera o profeta Moisés (Dt:28,15-68). Os judeus que conseguiam fugir, eram apanhados pelos romanos eram crucificados aos montões, outros eram apanhados tentando comer arbustos fora dos muros que eram torturados e mortos. Existiam relatos de que os judeus engoliam pedras preciosas e quando eram apanhados tinham os seus ventres cortados por causa das riquezas ali depositadas. Dentro dos muros quando os judeus não estavam lutando contra os romanos, facções rivais lutavam entre si, haviam muitos assassinatos (Mc:13,12), conta-se que do lado de fora haviam mais de cem mil crucificados entre o vale de Josafá e do Gólgota, cravados em estacas e árvores de sorte que não restou uma única árvore sem um cadáver. No ano 33 da era cristã os judeus haviam declarado: “Não temos outro rei senão César,” e quando entregaram Jesus para ser morto disseram: “Caia sobre nós e sobre os nossos filhos o seu sangue (Mt:27,25).  Ao longo dos séculos esta frase memorável tem perdurado em forma de maldição, pois esta foi a escolha dos judeus para a sua posteridade por haverem negado ao Senhor Jesus. A maldição sobre os judeus começou no ano 70 a.D. com a destruição da cidade de Jerusalém. Quando os romanos irromperam as muralhas  de Jerusalém no mês de Agosto, depois de quatro meses de cerco destruíram o templo e a cidade e mataram mais de um milhão e cem mil judeus. Mais de cem mil foram levados aos anfiteatros romanos para servirem de espetáculo as massas como gladiadores, e outros para serem  mortos nas arenas romanas devorados pelos leões, ursos, hienas, leopardos, crocodilos, tigres, formigas carnívoras africanas, cães, serpentes venenosas, aranhas venenosas, escorpiões e lacraias.

           Perseguições contra os judeus

      Os judeus foram perseguidos pelos romanos, foram embebidos em óleo e queimados vivos, outros eram utilizados como cães humanos na porta dos seus senhores e sofriam todo o tipo de privação. Os  judeus  foram  perseguidos  ao  longo dos séculos e exterminados em toda a Europa, foram acusados de transmitirem a peste negra, foram cassados e mortos nas cruzadas católicas, foram queimados na santa inquisição, foram mortos em guetos, foram presos em pogrons, foram exterminados aos montões no holocausto de Hitler, e expulsos de diversos países da Europa:

  • 49 : foram expulsos de Roma.
  • 115: expulsos da ilha de Chipre.
  • 640 a 873: são forçados a se converterem ao cristianismo.
  • 1009: mortos pelos cruzados alemães.
  • 1146 a 1391: são forçados a se converterem ao catolicismo na Espanha.
  • 1290: expulsos da Inglaterra.
  • 1306: expulsos da França.
  • 1355: os espanhóis massacraram 12.000 judeus.
  • 1349 a 1360: expulsos da Hungria.
  • 1420: a população judaica de Tolosa é exterminada.
  • 1421: expulsos da Áustria.
  • 1492: novamente expulsos da Áustria.
  • 1492: 180.000 judeus expulsos da Espanha.
  • 1495: expulsos da Lituânia.
  • 1497: expulsos da Sicília e Sardenha.
  • 1502: os judeus de Rodes são forçados a se converterem ao catolicismo.
  • 1516: massacrados na cidade de Lisboa.
  • 1541: expulsos do reino de Nápoles.
  • 1648 a 1656: 200.000 judeus assassinados na Polônia.
  • 1727 a 1747: expulsos da Rússia.
  • 1838: os judeus da cidade de Meshed na Pérsia são forçados a se converterem ao Islã.
  • 1882 a 1890: 750.000 judeus russos são obrigados a viverem em Guetos.
  • 1939 a 1945: 6.275.600 judeus foram mortos pelos alemães na Europa.
  • 1941: a comunidade israelita é atacada em Bagdá no Iraque.
  • 1948 até os dias atuais os judeus são vítimas de anti- semitismo no mundo inteiro.

Tudo  isso     é  o   cumprimento   da  maldição   pronunciada   pelos   principais sacerdotes judeus por haverem negado ao Cristo de Deus.

Israel atual ( o plano do Diabo foi frustrado)

Cem anos depois da destruição da cidade de Jerusalém pelos romanos a cidade foi reconstruída e povoada por povos pagãos e durante séculos os judeus ficaram espalhados pelas nações, parecia que Satanás havia vencido. Surge então no mundo um grande movimento Sionista de judeus que querem voltar a Sião, e no dia 14 de Maio de 1948 numa reunião da ONU presidida pelo Chanceler brasileiro Osvaldo Aranha, as grandes potencias da época votaram a favor da criação do Estado soberano de Israel, inclusive a extinta União Soviética; Deus cumpriu a sua promessa ao seu povo (Jr:30,10) depois de 2254 anos dispersos. Satanás perdeu mais uma vez para o Criador, hoje a cidade de Jerusalém é ocupada por árabes, judeus e cristãos e disputada pelas suas três religiões monoteístas, que também é um foco de tensão mundial desde a sua criação. Desde a sua criação Israel já esteve envolvido em  cinco guerras contra os seus vizinhos árabes; a última dessas guerras aconteceu em 1973 quando derrotou 11 nações árabes. Na guerra dos seis dias quase levou as duas superpotências a uma guerra nuclear. O profeta Zacarias disse que Israel seria um incômodo para todos os povos ao seu redor (Zc: 12,2,3), inúmeras vezes nações inspiradas pelo diabo tentaram exterminar os judeus mas seus esforços falharam. O Diabo não desistiu dos seus planos para exterminar os judeus pois ele conhece as profecias a respeito do reino messiânico no milênio (Is:2,1-4), e sabe que se ele destruir Jerusalém as profecias a respeito do milênio não se cumprirão e a Palavra de Deus cairia por terra. Num  futuro  bem  próximo  no  período da Grande Tribulação, mais uma vez os judeus serão vítimas de uma perseguição antissemita de proporções mundiais e o instigador dessa perseguição será o Diabo através do seu escolhido o Anticristo.

Terrorismo árabe

Basicamente o terrorismo começou com Ismael, o filho de Abraão gerado fora da vontade de Deus. Ismael era filho de Abraão com Agar sua escrava, mesmo assim Ismael recebeu a promessa que iria gerar doze príncipes (Gn:17,20) e Deus falou que Ismael seria como um jumento selvagem entre os homens (Gn:16,12). Os árabes são descendentes de Ismael e os seus doze príncipes são os doze países árabes que circundam o Oriente Médio. São eles:  o Líbano, a Síria, o Iêmen, a Jordânia, o Egito, a Arábia Saudita, o Sudão, a Líbia, a Argélia, a Tunísia, o Marrocos, e o Iraque. Sobre a expressão ser como um jumento selvagem representa a agressividade desses povos, a sua mão é contra todos (terrorismo), e a mão de todos é contra eles (países que combatem o terrorismo).

Miguel o protetor do povo judeu

O Estado soberano de Israel desde a sua criação em 1948 já se envolveu em quatro guerras:  1948, 1956, 1967, 1973, e em todas elas os judeus foram vitoriosos. Na guerra de 1973 foram registradas pelos satélites israelenses, imagens de aeronaves desconhecidas com poder de fogo sobrenatural com velocidades e manobras sem nenhuma explicação natural ou científica. Essas aeronaves abateram centenas de aeronaves egípcias e sírias; os judeus religiosos acreditam que se trata do Arcanjo Miguel com um exército de Anjos enviados por Deus para proteger o seu povo. Já os ufólogos creem se tratar de alienígenas que protegeram os judeus; mas a Bíblia diz que o Arcanjo Miguel é o príncipe do povo judeu e defensor do mesmo (Dn:12,1). O  Estado  de  Israel  é  hoje  a  maior  potencia econômica, militar, e nuclear do Oriente Médio, e também possui o terceiro exército mais eficiente do mundo com armas de última geração;  possui ainda um aparato nuclear com 2.500 mísseis intercontinentais capazes de atravessarem o mundo e acertarem alvos com perfeição. Israel tem 300 mísseis nucleares apontados para miras estratégicas em países no Oriente Médio, Norte da África e Sul da Ásia, dentre esses alvos estão: poços petrolíferos, fábricas de aviões, mineradoras, fábricas de armas e munições, fábricas de veículos, principais cidades e suas capitais, bases militares… Se um grupo de nações árabes fizer um ataque maciço contra Israel, automaticamente acontece uma retaliação (Zc:12,6/14,12,13). Os judeus acreditam que isso acontecerá e que é só uma questão de tempo, pois nas suas orações diárias eles oram para que Deus não permita que aconteça logo, eles creem que Miguel está protegendo-os e lutando juntamente com eles.

  • Gogue e magogue

             Na  invasão  da  terra  do  Norte  e  seus aliados no fim dos dias contra a terra de Israel (Ez :caps; 38 e 39) são especificados alguns países os quais são:

  • Gogue – é um governante que se levantará contra a terra de Israel para tomar as suas riquezas (Ez:38,13), acredita-se que este rei não será o Anticristo, pois o sepultamento dos corpos dos inimigos de Israel irá durar sete meses, período este que entrará na grande tribulação, e a derrota do Anticristo será no fim dos sete anos da grande tribulação e não no início, por isso Gogue não se trata do Anticristo e sim de um outro governante.
  • Magogue – é a terra do Norte provavelmente a Rússia que no seu apogeu foi um grande opressor dos judeus.
  • Meseque – é a cidade de Moscou e também a Armênia, Geórgia, Azerbajão.
  • Tubal – é Tobolisk uma das grandes cidades russas.
  • Persas – é o atual Irã um país muçulmano que tem um ódio decretado publicamente nos noticiários mundiais contra Israel, e é um dos grandes financiadores do terrorismo em Israel. Atualmente os iranianos mantém um slogan nos seus mísseis que diz que Israel será banido do mapa. O Irã geralmente nas reuniões de cúpula preferem o nome Pérsia ao invés de Irã, pois eles dizem que assim como fez a Pérsia no passado escravizando e matando os judeus, eles também o farão a Israel num futuro bem próximo.
  • Etíopes – é a Etiópia e o Sudão; a Etiópia tem o maior exército da África e o Sudão é um país muçulmano.
  • Pute – é a Líbia, um dos países que prometeram lançar os judeus no mar, e devolver a terra aos Árabes.
  • Gômer – é a Alemanha, a Polônia, a República Tcheca, e a Eslováquia; destes países a Alemanha foi a responsável pelas duas grandes guerras mundiais e pelo extermínio dos mais de seis milhões de judeus em toda a Europa.
  • Togarma – é a Itália a Iugoslávia e a Áustria; ambos estiveram envolvidos em guerras mundiais.

O profeta Ezequiel diz ainda a respeito de muitos povos que acompanharão  estas nações nesta guerra (Ez:38,9), aos quais cobrirão a largura da terra. O motivo da invasão será por causa das riquezas judaicas no seu território, talvez as riquezas depositadas no Mar Morto que ultrapassam os cinco trilhões de dólares. Pois está escrito: “Vens tu para tomar o despojo? Ajuntaste o teu bando para arrebatares a presa? para levar a prata e o ouro, para tomar o gado e as possessões, para saquear grandes despojos?” (Ez:38,13 (b)). Existe também um grupo de nações que serão contrários a esta investida: “Sabá e Dedã, e os mercadores de Társis, e todos os seus leõezinhos lhe dirão” (Ez:38,13(a)).  Como  na  antiguidade  essas  nações  eram terras além do mar, ou seja, povos não conhecidos; não sabemos com certeza quem são eles. Talvez serão nessa época os Estados Unidos da América e a Inglaterra e os países que compõem o Reino Unido, incluindo a Austrália e a Nova Zelândia que farão esse protesto mas sem sucesso algum. A invasão vai provocar uma guerra que vai sacudir a terra de Israel a tal ponto de tremerem os peixes do mar os animais da terra e as aves do céu (Ez:38,19,20), será uma guerra com a mais pesada artilharia moderna, e aparatos militares e equipamentos bélicos de ponta. Será uma guerra travada com submarinos no fundo do mar, e navios na superfície, pois tremerão os peixes no mar; será uma guerra terrestre com mísseis, canhões, artilharia, e a infantaria, pois tremerão os animais na terra; e será uma guerra área entre os mais modernos caças e bombardeiros. pois tremerão as aves nos céus. Nesta guerra o Senhor dos exércitos intervirá e fará com que os exércitos que se levantarem contra Israel se destruam uns aos outros (Ez:38,21), neste momento Deus ferirá a todos com a força do seu poder através de pragas (Ez:38,22), e o Senhor vai dar a vitória completa para o seu povo (Ez:38,23). Os destroços dessa guerra serão tantos que os judeus passarão sete anos usando eles como combustível (Ez:39,9,10). Os judeus passarão sete meses sepultando os corpos destes povos e nomearão pessoas só para este trabalho (Ez:39,11-16). No dia do Yom Kipur (dia do perdão) em Israel os judeus fazem duas orações no muro das lamentações, eles oram para que haja paz em Israel sendo estabelecida pelo messias prometido e para que Gogue não venha logo contra eles, pois eles sabem que essa invasão é inevitável, pois foi Deus quem falou.

Pr. Sidiney Figueredo – TH.M; Filósofo; Licenciado em Pedagogia, Pesquisador dos fenômenos escatológicos, e pós graduado em Docência do Ensino Superior.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal.