Da Redação do JM Notícia – Dermival Pereira 

Vanda Monteiro teria sido agredida verbalmente por Negreiros

Após uma forte discussão com o líder do Governo na Câmara de vereadores, Major Negreiros (PSB), a vereadora Vanda Monteiro (PSL) procurou o Site JM Notícia para queixar-se do colega de parlamento. Ao site, a parlamentar afirmou ter sido agredida verbalmente por Negreiros com vários xingamentos e até dedo no nariz. O episódio aconteceu na Sala de Reuniões da Casa, durante sessão plenária na manhã desta terça-feira, 18.

“Estou muito chateada com o líder do governo na Casa, pela atitude que ele teve comigo hoje aqui na Sala de Reuniões, na presença de várias pessoas, de autoridades e colegas vereadores. Muito me impressionou a forma como ele me agrediu (verbalmente); ele pediu pra eu subir na Tribuna e fazer a defesa do prefeito sobre as acusações da Odebrecht (feitas em discurso pelo vereador Milton Neris). Eu disse para ele que estava viajando e que precisava me interagir sobre o assunto primeiro, que eu não tenho nada a ver com a Odebrecht, que meu papel na Câmara é defender a população e votar pelo interesse do povo e que a gestão não tem dada a ver com essa questão”, declarou.

“Depois fui falar com o secretário Adir Gentil. Neste momento, quando eu estava conversando com o secretário, ele [Negreiros] começou a me chamar de “pilantra”, colocou o dedo na minha cara e disparou vários xingamentos, ele faltou com o respeito comigo, com o Regimento Interno e com a ética que temos que ter nesta Casa, não só por eu ser mulher, mas por ser uma parlamentar e eu não vou admitir que ele me trate dessa forma, porque da forma como ele está me tratando  ele deve tratar muitas por aí”. Disse ainda: “eu não vou me calar diante disso, ele tem que me respeitar, assim que sair daqui vou a Delegacia da Mulher registrar uma ocorrência contra ele”, disse.

Negreiros comenta

Negreiros e Vanda Monteiro trocam acusações

Procurado pelo JM Notícia para comentar o assunto, Negreiros afirmou:  “eu orientei todos os vereadores da base a fazerem a defesa da Gestão sobre a fala do vereador Milton Neris (que acusou o prefeito Carlos Amastha de fazer parte do escândalo da Odebrecht). Pedi para ela, para o Filipinho, para o Etinho e para o Tiago Andrino.  Eu também iria fazer a defesa do prefeito, e fui inclusive na mesa, pedir para ela [Vanda Monteiro] fazer a defesa do prefeito, e ela se recusou, disse que não ia fazer a defesa de ninguém. Eu disse que era para ela fazer porque os demais vereadores estão fazendo – você é da base, você só quer o bônus, o ônus você não quer – aí ela saiu e foi para a sala de reuniões; e pra mim, já tinha acabado” disse.

Negreiros conta ainda: “passados uns dez minutos, quando saiu, o Adir me chamou para questionar meu posicionamento, porque eu tinha dito que esse não era um problema da Câmara, que era do PMDB pra lá, aí ela disse que queria falar comigo, eu disse que não tinha mais nada para falar com ela, e ela insistiu. Aí eu disse que não tinha nada para falar com ela, porque eu não falo com quem não tem posicionamento, ela discutiu comigo e eu discuti com ela e pronto, acabou. Se ela quiser ir para delegacia pode ir, que eu respondo pelos meus atos”, disse.

“Eu não me dirigi a ela como mulher não, me dirigi a ela como parlamentar, certo?Pois não concordo com as atitudes que ela toma, pois isso não é forma de uma parlamentar se comportar, de não ter posição, não ter lado”, criticou.

Questionado se realmente usou palavras de baixo calão na discussão que teve com a colega, Negreiros disse: “ela pode fazer o que quiser, se ela achar que deve ir à Delegacia pode ir, se achar que deve ir para o inferno também pode ir, eu não tenho esse negócio não. Agora, convivência com ela acabou, não tem mais espaço, acabou”, finalizou.⁠⁠

DEIXE UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal.