Mãe e filho condenados por incesto nos EUA continuam se encontrando

A Justiça determinou que eles ficassem 3 anos sem se verem e fizesse tratamentos psicológicos

1394

Da Redação JM Notícia

Uma mulher se apaixonou por um homem mais jovem que, tempo depois, soube que era seu filho. O bebê que ela teve aos 16 anos e havia entregado para adoção. Monica Mares, 37 anos, e Caleb Peterson, 20, moradores do Novo México (Estados Unidos), enfrentam a Justiça americana para viver o incesto como uma forma de amor.

“Ele [Caleb] é o amor da minha vida e eu não quero perdê-lo. Meus filhos o amam, minha família toda também. Nada poderá nos separar, seja júri ou prisão”, disse ela em entrevista ao jornal inglês Daily Mail.

O casal se conheceu pelo Facebook, Monica tinha 35 anos e Caleb 18, eles já sabiam que eram mãe e filho, mas começaram a se encontrar e apaixonaram passando a levar um namoro escondido. “Nunca tive ninguém a olhar por mim. Após uma semana comecei a ter sentimentos por ela, apaixonámo-nos”, afirmou Caleb.

Foi um vizinho de Monica que percebeu o relacionamento amoroso e sexual entre mãe e filho e resolveu denunciar à polícia o caso de incesto.

A acusação fez com Monica fosse impedida de ver seus outros nove filhos, mas mesmo correndo o risco de perder a guarda de todos eles, ela não estava disposta a terminar o relacionamento amoroso com Caleb.

A Justiça americana condenou o casal a 18 meses de prisão, mas por não terem antecedentes criminais, ambos acabaram submetidos a penas mais suaves. A pena também inclui o acompanhamento psicológico e eles estão proibidos de se encontrarem por três anos.

Porém o casal não segue as determinações judiciais e estão dispostos a enfrentar as consequências do relacionamento. “Ele é o amor da minha vida e vamos ficar juntos”, garantiu Mônica.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal.