Em Veneza, igreja fecha portas e só faz missa ‘por encomenda’

O motivo da decisão, que partiu do padre, é a falta de fiéis nas missas

222

Uma pequena igreja em Veneza, na Itália, só realiza missas “por encomenda” e esse diferencial tem chamado a atenção da imprensa de todo o mundo.

A decisão de acabar com os encontros semanais e realizá-los apenas quando os moradores da ilha de Vignole pedirem foi tomada pelo próprio padre responsável pela igreja de Santa Maria Assunta e Santa Eurosia.

Dom Mario Sgorlon, 60 anos, fixou então um cartaz com o recado para os fiéis dizendo que a missão foi suspensa por falta fiéis.

Localizada  a cerca de 5 km da praça San Marco, região central de Veneza, a igreja foi perdendo fiéis com o passar dos anos e os 40 habitantes da comunidade local perderam o costume de participarem da missa.

“No inverno, frequentemente não vinha ninguém por causa do frio. As pessoas adoecem e não saem de casa. Uma vez estávamos em três, não tem sentido celebrar assim”, afirmou Dom Mario.

Quando algum morador solicita, o padre abre a capela e realiza a missa. Eventos que atraem o público como as missas de Páscoa e Domingo de Ramos que ocorreram normalmente.

Depois que adotou esse sistema, ele realiza apenas uma missa por mês. Segundo o padre, o motivo da falta de público não é a falta de fé, mas sim o fato da população local já estar idosa e sem condições físicas de comparecer às reuniões.

“Não vejo nada de estranho, é o destino de todos os vilarejos”, comentou Sgorlon, abrindo os braços em sinal de rendição.

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal.