Faculdade nos EUA expulsa aluno que evangelizava no campus

Chike Uzuegbunam foi acusado de pregar "discurso de ódio" por evangelizar aos estudantes da faculdade

 

Da Redação JM Notícia

A Faculdade Georgia Gwinnett, localizada no estado de Geórgia, Estados Unidos, expulsou um aluno cristão que evangelizava no campus dizendo que ele fazia “discurso de ódio”.

O estudante Chike Uzuegbunam foi acusado pela instituição de ensino de usar “palavras de guerra” e “uma linguagem religiosa contenciosa que, quando se dirigi a uma multidão, com uma tendência a incitar hostilidade”.

Agora Uzuegbunam está processando a faculdade e sua defesa, feita pela organização Aliança em Defesa da Liberdade (ADF – sigla em inglês), tem usado a Primeira Emenda da Constituição dos EUA para garantir a liberdade de expressão do jovem.

“Apesar de afirmar que valoriza a ‘diversidade’ e a ‘comunicações aberta’, a Faculdade Georgia Gwinnett limita o discurso dos estudantes a duas zonas de fala ridiculamente pequenas e censura o discurso que ocorre nessas áreas”, escreveu os defensores do aluno.

A escola, por sua vez, respondeu que o aluno “proferiu uma mensagem preconceituosa diretamente contra um grupo de ‘muitos indivíduos'”. Ao que parece, Uzuegbunam subiu em um banquinho para pregar e sua pregação “causou perturbação” em alguns estudantes.

VEJA TAMBÉM
Cristãos são presos mesmo sendo inocentes

A instituição de ensino chegou a pedir que o estudante evangelizasse apenas em uma das áreas de livre expressão que ficam no campus e mesmo nesses espaços o jovem foi censurado pelos seguranças da faculdade.

“Toda escola pública – e especialmente uma faculdade estadual que é supostamente o  ‘mercado de ideias’ – tem o dever de proteger e promover essas liberdades”, disse Travis Barham, advogado da ADF. Com Informações Black Christian News.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal.