MPE instaura inquérito para investigar ação de policiais militares em Paraíso

O Ministério Público Estadual (MPE) instaurou Inquérito Civil Público (ICP) para apurar eventual prática de ato de improbidade administrativa referente a suposta invasão, por parte de policiais militares, ao 2º Distrito da Policial Civil, em Paraíso do Tocantins. O objetivo é apurar se houve desvio de conduta ou falta funcional grave que tipifique ato de improbidade administrativa.

A portaria foi publicada pelo Grupo Especial de Controle Externo da Atividade Policial (Gecep), nesta segunda-feira, 24, após ter conhecimento de que no último dia 20 de abril, 20 policiais adentraram o 2º Distrito Policial de Paraíso do Tocantins, a pretexto de apenas entregar um ofício ao delegado responsável por àquela unidade policial.

O ofício informava que os militares que foram intimados para depor não seriam apresentados, em razão de ausência de tempo hábil para composição de escala. O fato ocorreu logo depois da prisão temporária de dois policiais militares e de cumprimento de mandado de busca e apreensão na sede do 8º Batalhão da PM na cidade, que culminou na apreensão de drogas ilícitas e dinheiro falsificado, em operação policial.

VEJA TAMBÉM
Governador lança a Universidade Corporativa do Estado do TO nesta segunda

Para os promotores, “mesmo na hipótese de inexistência de indícios da prática de coação no curso do processo, o fato carece ser cabalmente investigado, porquanto aparenta tratar-se de ação desarrazoada e injustificável que o 8º Batalhão de Polícia Militar da cidade tenha mobilizado praticamente todo o seu efetivo do dia, cerca de vinte homens fortemente armados, a bordo de quatro viaturas, com o propósito de protocolizar um simples ofício no 2º Distrito Policial de Paraíso”, frisaram.

Baseado nos fatos, o Gecep solicitou ao Comandante do 8º Batalhão de Polícia Militar que encaminhe, em 15 dias, a relação nominal de todos os militares escalados para o serviço de patrulhamento no dia 20 de abril de 2017 e a identificação das viaturas.

Também foi solicitado a relação nominal de todos os militares e viaturas que estiveram no 2º Distrito Policial, no último dia 20, com o objetivo de protocolizar ofício ao delegado.

O delegado de polícia e todos os policiais civis que se encontravam presentes, no momento da suposta invasão também devem ser ouvidos pelo Gecep.

VEJA TAMBÉM
Carlesse participa de encontro com líderes políticos em Ananás
COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal.