Da Redação

Durante a sessão ordinária na manhã desta quarta-feira, 03, o vereador Vandin da Cerâmica (PSDC) anunciou a sua saída da base aliada ao prefeito Carlos Amastha. De acordo com o parlamentar a sua decisão foi tomada após desencontro de ideias com a atual gestão.

Em pronunciamento feito no parlamento o parlamentar explicou que não teve como ficar na base após sofre retaliações, “tivemos um desencontro de ideias, ficou difícil, com o vigésimo vereador, o secretário Adir Gentil fazendo cobranças. Na semana passada eu sofri ameaças, disseram que eu ia perder, que ia tirar secretários, e eu não aceitei isso”, explica o parlamentar.

Ainda de acordo com o parlamentar, o mesmo vinha passando por momentos de constrangimentos, sentindo-se coagido ao ser pressionado a votar os aumentos propostos pela gestão. “Tentei de todas as formas, pedi para não aumentarem a taxa de lixo, falei que não concordava, achei que os outros vereadores foram infelizes ao votar ao favor, na crise em que a gente se encontra não está na hora de aumentar nada, e eu não ia aceitar isso, eu não podia votar nada”, esclarece o vereador.

VEJA TAMBÉM
João Dória vem a Palmas para participar de reunião de cúpula da Frente Nacional de Prefeitos  

O pronunciamento do parlamentar foi recebido pelos vereadores de oposição com comemoração, “parabenizo ao nobre vereador por sua decisão e deixar a base, pois o senhor como vereador não tem de fazer o que o vigésimo vereador manda não”, ressalta o vereador Milton Neris.

“Eu sou líder do bloco e percebi que ultimamente nem o tempo da liderança os vereadores me pedem mais, parece que já estavam contando comigo fora da base. Ninguém faz a minha cabeça não, já fui vereador de dois mandatos e ninguém toma decisões por mim, eu não voto contra o meu povo”, finalizou Vandin da Cerâmica.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal.