Da Redação JM Notícias

Entre os dias 24 de abril e 9 de maio uma cristã perseguida do Vietnã esteve no Brasil contando sua história e falando sobre a realidade da Igreja Perseguida não apenas em seu país, mas também no mundo.

Para preservar sua identidade, o site do ministério Portas Abertas a chamou de Esther e pontou que sua história impactou cristãos brasileiros de igrejas de Fortaleza (CE) e Maceió (AL).

“Esther me inspirou a buscar um relacionamento mais profundo com Deus”, disse Ilda de Maceió, uma das participantes de um dos cultos na região.

Ao saber que mesmo diante do perigo da morte, muitos pastores continuam fazendo a obra de Deus, Joice – outra participante de um dos cultos, ficou impressionada.

“Ela contou que, mesmo quando os pastores são presos, a igreja continua funcionando porque é Cristo quem mantém o corpo, apesar da perseguição e isso tocou o meu coração”, testemunhou.

O Vietnã é o 17º país no rank de perseguição religiosa elaborado anualmente pelas Portas Abertas, o que mostram que os cristãos que vivem regidos sobre o governo comunista enfrentam uma série de dificuldades, prisões, perseguições e ameaças.

VEJA TAMBÉM
Cristãos são presos mesmo sendo inocentes

Mesmo diante deste cenário, a obra missionária continua ativa e os relatos do que acontecem naquele país impressionou os brasileiros. “Esther me encorajou a manter a união entre os irmãos, aprendi muito com ela, através de sua simplicidade, alegria e testemunho de fé”, conta Rebeca, outra cristã de Maceió.

Já no encontro underground realizado pelas Portas Abertas em Maceió marcou Jairo que assistiu aos relatos de Esther sobre seu dia a dia no Vietnã. “Vi muitos jovens entendendo a mensagem dela, com os olhos cheios de lágrimas. Foi uma bênção, Deus realmente se manifestou de forma tremenda”, disse ele. Com informações Portas Abertas.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal.