Da Redação JM Notícia

Durante um café da manhã com parlamentares da bancada paulista na última quarta-feira (10) o presidente Michel Temer disse Deus o levou até a presidência e destacou sua trajetória política até se tornar o substituto da presidente deposta.

Como deputado federal, Temer lembrou que comandou a Casa por três vezes e que deixou o cargo por “pressões que o incomodavam”.

Ao falar sobre se tornar vice-presidente, o peemedebista citou o destino. “E daí que eu fui para essa história de vice, aconteça o que acontecer, ganhou, não ganhou, já fiz o que deveria fazer, mas veja o que é destino? O destino me levou para vice e agora me trouxe aqui.”

Temer disse que o momento de se tornar presidente não é um dos mais fáceis para a história do país, o que tem tornado sua função “complicada” por estarmos diante de uma “recessão extraordinária”.

Seu discurso desse evento com parlamentares, também mostra o presidente falando sobre ser levado por Deus até o cargo de presidente. “Deus me trouxe aqui na Presidência, num momento complicadíssimo. Porque não é só a complicação da recessão, que é uma verdade evidente, uma recessão extraordinária. Mas também politicamente complicado, com vários fatores que todos conhecemos”, disse.

VEJA TAMBÉM
Marcos Pereira ora quebrando “macumbaria, bruxaria e todo o mal” de Temer

Por fim, ele afirmou aos deputados que o Legislativo deve governar junto com o Executivo, não servindo apenas como uma “espécie de apêndice” como governos anteriores tratavam os parlamentares.

“”Quando eu cheguei agora à Presidência, quem governa, volto a dizer o Executivo e o Legislativo. Eu só consigo levar essa tarefa adiante se eu tiver o apoio do Legislativo. (….) E convenhamos o nosso governo tem o apoio do Legislativo. Mas não como apêndice, como alguém que governa junto”, afirmou Temer.

Ele precisa que os deputados aprovem matérias difíceis como as reformas da Previdência e trabalhista, temas que para Michel Temer não foram compreendidos pela população, mas que os deputados que aprovarem não serão prejudicados.

“Neste ano ainda há umas certas incompreensões. Vocês verão como, no começo do ano que vem, haverá compreensão do que foi feito neste período, e daí, todos desfrutarão”, disse.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal.