Da Redação JM Notícia

A Justiça de Nicarágua condenou o pastor Juan Gregorio Rocha Romero a 30 anos de prisão por ter queimado uma fiel de sua igreja durante uma sessão de exorcismo. Romero e outros quatro membros da igreja tentaram “libertar do demônio” uma mulher de 25 anos e para isso a lançaram em uma fogueira.

O crime aconteceu em 21 de fevereiro na cidade de Rosita, um município muito pobre onde mais de 80% da população não tem emprego. Vilma Trujillo García era uma jovem agricultora, mãe de dois filhos que perdeu a vida ao participar da cerimônia da comunidade El Cortezal.

As investigações garantem que ela ficou exposta ao fogo por cinco horas, suportando temperadores de até 400 graus.

“Minha esposa não vai reviver com isto [decisão do juiz de prender os membros da igreja], mas pelo menos vão estar no tempo máximo encarcerados”, disse Reynaldo Peralta, viúvo da jovem.

Durante todo o julgamento, o pastor e os demais processados afirmaram que haviam recebido “uma revelação divina” para queimar a jovem e assim expulsar o demônio. “Ela caiu no fogo quando o espírito do demônio saiu de seu corpo”, disseram eles.

VEJA TAMBÉM
Congresso médico sobre religião defende que a fé ajuda a curar

Agora o pastor e os quatro membros da igreja que mataram Vilma responderão à pena máxima estabelecida na Nicarágua, através da sentença dada pelo juiz Alfredo Silva Chamorro.

Antes de chegar ao juiz, a ação passou pelo júri de cinco pessoas que também declararam os cinco homens culpados pelo crime que aterrorizou o país. Com Informações Trome.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal.