Da Redação JM Notícia

O governo aceitou trocar as meninas por terroristas que estava presos

Grace está entre as 82 meninas resgatadas das mãos do grupo terrorista Boko Haram. Ela estudava na escola de Chibok, na Nigéria, quando o local foi invadido pelos soldados que levaram 276 alunas como reféns em 2014.

Em um vídeo gravado pelo ministério Portas Abertas, Peter Pogu, pai da jovem, conta que no dia do sequestro Grace entrou em contato com ele avisando que o Boko Haram estava na escola e pedia para que ele fugisse da cidade.

“Há alguns soldados ao nosso redor com armas”, disse a estudante ao seu pai pelo telefone. Grace disse que eles se apresentaram como soldados do governo e que prometerem cuidar delas.

O pai sabia que eram os terroristas e pediu para que Grace fugisse o mais rápido que pudesse, mas ela não conseguiu. “Eles viram a Grace falando comigo e tiraram o celular dela”, relembra.

Peter Pogu, que tem outros oito filhos, chorou todos os dias por falta de informações sobre a menina. “Quando isso aconteceu, todos os meus filhos choraram por ela. Sua mãe e eu também ficamos muito tristes e abalados. Derramamos tantas lágrimas por causa da Grace e tivemos nossos corações partidos”, disse ele a um conselheiro do ministério Portas Abertas.

VEJA TAMBÉM
Jovem russo que jogou Pokémon na igreja foi condenado à prisão

Durante todos esses anos ele sempre teve esperança em reencontrar sua filha e sempre ensinou seus outros filhos a perdoarem os terroristas pelos que eles fizeram. “A Bíblia nos ensina que devemos perdoar aqueles que nos ofendem”, disse ele. “Um dia nossa filha voltará e é isso que falo pra eles”, relata.

Peter sempre acreditou que ela e as demais meninas voltariam para suas casas, até que no domingo passado (7) ele finalmente pode reencontrar sua filha, as negociações feitas com o governo e os terroristas resultou na soltura de um grupo de meninas e Grace estava entre elas, o que encheu sua casa de alegria.

O presidente nigeriano, Muhammadu Buhari, prometeu fornecer a elas o necessário para reintegrá-las à sociedade e irá supervisionar as reabilitações pessoalmente.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal.