Da Redação – Ricardo Costa

Por Ricardo Costa

O Brasil presenciou esta semana, e tenho que concordar com o jornalista Reinaldo Azevedo, uma conspiração para derrubar o presidente Michel Temer.  Nota-se que a gravação feita pelo empresário da JBS, Joesley Batista estava planejada, as perguntas e conversas comprometedoras e etc, para incriminar o presidente Temer. Segundo reportagem publicada recentemente, Joesley Batista teria tido até  ‘aula de delação’ 15 dias antes de gravar conversa com Temer.

O anúncio não teria outra repercussão: tragédia política e econômica. Eis agora a grande pergunta: Temer dará conta de se manter na presidência? haverá clima político? Dará conta de avançar nas reformas propostas pelo seu Governo?

Se Temer cair, Kátia Abreu “pode” assumir partido no Tocantins

Adversária política do presidente Michel Temer, a senadora Kátia Abreu (PMDB) afirmou esta semana, em entrevista ao programa AgroTV,  que continua na legenda e disse ser alvo de “injustiça” de um grupo minoritário. Na ocasião, Kátia Abreu não descartou a possibilidade de disputar o governo.

Segundo fontes de bastidores, a queda de Temer fortaleceria Kátia no Tocantins, tendo em vista que o PMDB atualmente é controlado pelo presidente Michel Temer, este por sua vez, aliado de Marcelo Miranda. Com a saída de Temer, Renan Calheiros e José Sarney podem controlar o PMDB nacional, estes, aliados de Kátia Abreu.

Kátia Abreu havia aberto diálogo com PDT, PSDB e o PSB do prefeito Carlos Amastha (PSB) para uma possível filiação.

Carência de lideres

senador Ataídes Oliveira (PSDB/TO)

O Tocantins infelizmente está carente de novas lideranças para 2018, tanto ao Senado, quanto ao Governo.

Amastha, prefeito de Palmas que afirmava ser o “novo”, já deixou provado que de novo não tem nada. Marcelo Miranda (PMDB), enfrenta desgastes por ter “parado” o Estado por dois anos, sem ação, sem atitude, sem obras, sem saúde, um caos literalmente. Já a senadora Kátia Abreu (PMDB), está tendo dificuldade para montar seu grupo político nesse primeiro momento para disputar o Governo.

VEJA TAMBÉM
Assessoria de Temer desmarca encontro com Malafaia

Mauro Carlesse, presidente da Assembleia Legislativa, ensaia candidatura ao governo. Nos bastidores, mais de 15 parlamentares já estariam conversando com o Carlesse. Quem  também colocou seu nome à disposição novamente, foi o senador Ataídes Oliveira (PSDB).

Tiago Andrino recebeu R$ 100 mil da JBS nas eleições de 2014.

Tiago Andrino e a JBS 

Candidato a deputado federal nas eleições de 2014, ficando na primeira suplência, o hoje vereador eleito de Palmas, Tiago Andrino (PSB), foi um dos diversos políticos beneficiados pela empresa JBS. De acordo com prestação de contas, no site do TSE, Andrino recebeu R$ 100 mil reais do grupo.

Ao JM Notícia, Andrino afirmou que os recursos foram repassados pela direção nacional do PP, e que não possui nenhuma relação com o grupo JBS.

“Eu recebi ajuda da direção nacional do PP. Não conheço eles, nunca pedi nada ele. Os recursos vieram pela nacional”, disse Andrino.

Botelho na lista

Quem recebeu também recursos da nacional do PP, nas eleições de 2014, oriundos da JBS, foi o deputado federal Lázaro Botelho. Ao todo, o parlamentar declarou ter recebido R$ 600 mil reais à justiça eleitoral.

Marcelo Miranda X Assembleia Legislativa

O governador Marcelo Miranda quer autorização da Assembleia Legislativa para contrair empréstimo de R$ 600 milhões de reais. No entanto, Carlesse afirmou que quer o detalhamento de onde esses recursos serão empregados:

“Além disso, é de interesse da sociedade saber antecipadamente as intenções do Governo quanto à aplicação de verbas públicas. Portanto, nossa preocupação é promover a isenção e o zelo necessários à aplicação dos recursos públicos”, explicou o parlamentar.

VEJA TAMBÉM
CONIC exige eleições direitas e suspensão das reformas trabalhista e da Previdência
Dr. Romildo Leite

Exonerado

Quem foi exonerado esta semana da Câmara de Palmas, foi o advogado e diretor administrativo, Dr. Romildo Leite. Ele afirmou ao JM Notícia, que sua exoneração se deu por perseguição política, por tecer diversos comentários nas redes sociais em desfavor do prefeito Amastha: “O Folha me chamou e disse que eu estava sendo exonerado a pedido do prefeito“.

Paulo Mourão

Depois de romper com o governo Marcelo Miranda, o ex-líder do governo, Paulo Mourão, se aproximou do prefeito de Palmas, Carlos Amastha. Os dois já estão andando juntos pela cidade. Mourão acusou o Governo Estadual de privilegiar o PR e o PV em seu governo.

Na Câmara Federal

Osires Damaso

Quem está trabalhando para alçar voos maiores a deputado federal, é o deputado Osires Damaso (PSC), ex-presidente da Assembleia Legislativa, e o deputado Vilmar do Detran (SD), presidente do SD no Tocantins. O vice-presidente da Câmara, Léo Barbosa, também é um dos nomes ventilados pelo partido para disputar vaga na Câmara dos Deputados.

Depois de assumir o PSC, Osires tenta se aproximar do segmento evangélico no Tocantins,  no entanto, não tem muita afinidade com o referido nicho eleitoral.

Quer voltar – O ex-deputado estadual Sargento Aragão (PEN), pretende voltar ao parlamento em 2018. A informação foi confirmada ao JM Notícia pelo próprio Aragão.

Regularização Fundiária em Palmas

O Projeto de Lei do Executivo de Palmas que institui o Plano de Regularização Fundiária Sustentável da Capital, ainda pode dar o que falar.

VEJA MAIS

Bastidores: Amastha “fora” das eleições de 2018 e a reação de Marcelo Miranda

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal.