Com o objetivo de reduzir o tempo de espera para a realização de exames e consultas na rede municipal de saúde está em análise na Câmara de Palmas um projeto de lei que delimita o prazo em dias úteis. A proposição é do vereador Filipe Martins (PSC).

De acordo com o projeto, o prazo passaria a ser de 30 dias para a realização de exames e consultas na rede de saúde pública do Município e 60 para cirurgias eletivas. Nos casos de pacientes idosos, crianças menores de 12 anos e pessoas com saúde debilitada o prazo para atendimento será de 15 dias.

A dona de casa Maria Josefa Teixeira, moradora da quadra 407 Norte, ressaltou que há alguns meses espera por um exame para descobrir a causa de sua dor na coluna. “Faz uns 7 meses que passei pelo postinho e estou esperando o exame, vou atrás mas não consigo solução”, informou.

Para ela, a limitação de prazo em lei pode ajudar a acelerar o processo. “O projeto é bom, pode nos ajudar sim. Não tem condições de esperar tanto tempo”, ressaltou Maria Josefa.

VEJA TAMBÉM
Filipe Martins vota favorável para investimentos de mais de 200 milhões em obras de infraestrutura

A demora na realização dos procedimentos também foi destacada pela moradora da quadra 108 Norte, Elisangela Mesquita. “Acho ótimo o projeto por que muitas vezes você passa pela consulta e nunca consegue fazer o exame aí você se vira e faz particular e se você for atrás nem sabem informar onde está a solicitação. É complicado pois muita gente não tem condições de pagar”, destacou.

O comerciante Darik Warik Amaral salientou que a iniciativa é positiva. “Acredito que esse projeto que está sendo analisado na Câmara pode ser de grande ajuda para a população, de grande importância principalmente para quem não tem acesso a plano de saúde. A população será beneficiada com essa lei”, frisou.

Autor do projeto, o vereador Filipe Martins (PSC) destacou a motivação da iniciativa. “A intenção é diminuir o sofrimento dessas pessoas que já estão passando por problemas de saúde e se deparam com a burocracia do sistema. Queremos dar celeridade aos processos da saúde pública municipal”, explicou.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal.