Da Redação JM Notícia

 

O advogado Jader Alberto Pazinato, acusado de participar de um esquema de corrupção em cobranças judiciais de royalties da exploração mineral, deu uma declaração que pode inocentar o pastor Silas Malafaia.

Em 2013, Pazinato deu uma oferta de R$ 100 mil ao pastor evangélico e por conta do depósito desse cheque, Malafaia passou a ser investigado por lavagem de dinheiro.

Acontece que o advogado negocia colaboração premiada com a Procuradoria-Geral da República na Operação Timóteo e se comprometeu em dar informações sobre os funcionários do Departamento Nacional de Produção Mineral (DNPM) e de três conselheiros do Tribunal de Contas do Pará.

Sobre Malafaia, segundo a revista Isto É, o advogado não deu informações, pois o dinheiro dado ao religioso como oferta não fazia parte do esquema de corrupção, ou seja, era limpo. “O pastor não tinha como desconfiar de lavagem alguma”, dizem os interlocutores do advogado.

A fala de Pazinato e seus representantes é a mesma usada pelo líder religioso que viu seu nome envolvido em um escândalo e até mesmo foi conduzido de forma coercitiva para prestar esclarecimentos na Polícia Federal.

VEJA TAMBÉM
Malafaia pede a Temer 'cuidado' na escolha do ministro da Educação

Em vídeo, Malafaia volta a se defender e mostrar seu imposto de renda onde ele declara a oferta recebida. “Isso foi uma bandidagem para me denegrir. Você acha que se fosse lavagem de dinheiro eu depositaria o cheque na minha conta e declararia no imposto de renda?”, afirma.

Assista:

DEIXE UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal.