Senador do Tocantins, Ataídes Oliveira (PSDB), é um dos membros da Comissão de Assuntos Econômicos que acabou se envolvendo na confusão iniciada pelo senador Lindbergh Farias (PT-RJ)

Diante da derrota de todas as estratégias regimentais para barrar o avanço da reforma trabalhista, o senador Lindbergh Farias (PT-RJ) resolveu transformar o plenário da Comissão de Assuntos Econômicos (CAE) em palco de baixaria para tentar evitar a leitura do parecer do senador Ricardo Ferraço (PSDB-ES) nesta terça-feira. Aos berros e com o dedo em riste, o petista partiu para cima do relator quando ele ia iniciar a apresentação do relatório. O senador Fernando Bezerra (PSB-PE) teve de segurar Lindbergh. “Não vai ler, não vai ler”, gritava o parlamentar, fazendo movimentos frenéticos com os braços.

Na sequência, o petista estendeu a cena para a tribuna da comissão. “Quem acaba aqui sou eu. Não pode ser no grito”, respondeu Tasso Jereissati (PSDB-CE), presidente do colegiado. Lindbergh, acompanhado de outros parlamentares da oposição, continuou com a confusão até a sessão ser suspensa por tempo indeterminado. “Eu não vou ser agredido dessa maneira aqui”, lamentou Jereissati. Ricardo Ferraço classificou o episódio como primitivo. “O que nós assistimos aqui foram gestos grotescos, toscos, de quem não está acostumado com o debate e, não tendo argumento, parte para a violência”, disse o relator.

Confusão com senador Lindbergh Farias suspende sessão da reforma trabalhista (TV Senado/Divulgação)

Senado - Tasso Jereissati (PSDB-CE)

Confusão em sessão da comissão de Assuntos Econômicos do Senado
Foto: Marcos Oliveira/Agência Senado (Marcos Oliveira/Agência Senado)

Senado - Tasso Jereissati (PSDB-CE)

Comissão de Assuntos Econômicos (CAE) realiza audiência sobre reforma trabalhista.
Foto: Marcos Oliveira/Agência Senado (Marcos Oliveira/Agência Senado) Com informações Veja

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal.