Da Redação JM Notícia

Vereador Diogo Fernandes (PSD)

O vereador Diogo Fernandes (PSD), foi inocentado pela Justiça Eleitoral em ação movida pelo 1º  suplente Elis Raik,  no qual acusou Fernandes por suposta captação ilícita de sufrágio (compra de votos) e abuso de poder econômico nas eleições de 2016. A decisão foi proferida pelo juiz da 29ª Zona Eleitoral, Luiz Astolfo de Deus Amorim, nesta segunda-feira, 22.

Na tribuna da Câmara nesta terça-feira, 23, Diogo Fernandes afirmou que vai mover ação contra Elis Raik. “Vou tomar as devidas providências contra esse oportunista com ação judicial. Se ele quer assumir cargo na Câmara municipal, devia ter feito uma campanha honesta, com propostas e ser eleito pelo povo” enfatizou Diogo Fernandes.

Elis Raik, 1º suplente de vereador obteve nas eleições de 2016, 1.173 votos.

Raik  entrou com ação na justiça eleitoral pedindo  a cassação do mandato do vereador, alegando que Diogo Fernandes praticou suposta captação ilícita de sufrágio (compra de votos) e abuso de poder econômico nas eleições de 2016.

Benefícios

Na mesma sessão, Fernandes teve dois Projetos de  Lei de sua autoria aprovados.  Votado em terceiro e último turno, foi aprovado o  Projeto de Lei  (PL) que concede  título de Cidadão palmense,  ao  ex-deputado,  Antônio Jorge Godinho.

VEJA TAMBÉM
Diogo Fernandes propõe Centro de reintegração para dependentes de drogas

Foi aprovado também em segundo turno, outro projeto de lei  do vereador que declara de Utilidade pública municipal, o Instituto de Desenvolvimento e Gestão Social, Esportiva e Cultural (IDEGESEC).

Foram aprovados ainda, três requerimento de relevância social para a comunidade: Pavimentação asfáltica na rua 01, no  jardim Aureny IV,  a Instalação de iluminação pública na avenida NS-02 e a instalação de câmeras  de segurança na avenida JP, no setor Janaína. (ASCOM).

DEIXE UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal.